Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

BEM VINDOS!

É imensa satisfação receber sua visita a este blog. Meu desejo é que os artigos postado possam edificar, consolar sua vida. Caso algum artigo lhe seja útil e queira usar fique a vontade para isso, pois tudo é feito para Honra e Glória do Senhor Jesus Cristo. Um pedido quero fazer, se você foi edificado, consolado indique este blog ao seu círculo de relacionamento. Minha oração ao Pai do Senhor Jesus Cristo é que Ele lhe abençoe imensamente, com todo sorte de Bençãos espirituais nos lugares celestiais.

Para Meditar

Em seu Emaill!

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

TRANSLATE

Pesquisar este blog

15 de ago de 2017

COMO VIVER NO TEMPO DO PRINCÍPIO DAS DORES



Vivemos em uma sociedade que convive diariamente com a violência, com rumores de guerras, principalmente agora com a Coréia do Norte e os EUA distribuindo farpas pelos noticiários levando a uma insegurança quanto a uma nova guerra mundial. Por isso podemos afirmar que estamos acostumados com tudo isso e quando olhamos para essas coisas pensamos sempre que as coisas são assim e nos parece tudo normal mesmo sendo anormal, isto está de acordo com o que o apóstolo Pedro escreveu na sua segunda carta no capítulo três versículo quatro – “e dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? Porque desde que os pais dormiram todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação.” Ainda que não falamos com as palavras mas, pensamos assim, que as coisas sempre foram assim e continuam sendo. O que para nós até parece natural e normal faz parte de um plano bem elaborado pelo inimigo de nossas almas para nos manter em um estado de sonolência espiritual e não percebamos que tudo isso faz parte da segunda vinda do Senhor Jesus Cristo, essas coisas são o princípio das dores como foi pelo Senhor Jesus apresentado aos discípulos em Mateus 24: 3-14 – “E, estando assentado no monte das Oliveiras, chegaram-se a ele os seus discípulos, em particular, dizendo: Dize-nos quando serão essas coisas e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo? E Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos que ninguém vos engane, porque muito virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos. E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim. Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares. Mas todas essas coisas são o princípio das dores. Então, vos hão de entregar para serdes atormentados e matar-vos-ão; e serei odiados de todas as gentes por causa do meu nome. Nesse tempo, muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se aborrecerão. E surgirão muitos falsos profetas e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos se esfriará. Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo. E este evangelho do Reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as gentes, e então virá o fim.” Quantos falsos profetas temos nesta era que vivemos? Se você não sabe, basta ligar a televisão que os verá pregando um evangelho com um claro objetivo “comércio”, não é o evangelho do Reino de Deus. Como devemos viver nesta época de princípio das dores? O apóstolo Pedro em sua segunda carta no capítulo três versículos onze e quatorze – “Havendo, pois, de perecer todas essas coisas, que pessoas vos convém ser em santo trato e piedade, ... Pelo que, amados, aguardando estas coisas, procurai que dele sejais achados imaculados e irrepreensíveis em paz.” (Romanos 13:11-14; I Tessalonicenses 5:1-11; Tito 2:11-14; I João 2:28 – 3:3). Devemos despertar do sono espiritual ao qual muitos estão e nos levantar num modo de vida santo em todos os âmbitos. Que verdadeiramente sejamos sal e luz nesta geração corrupta e perversa.    #renovandooentendimento

9 de ago de 2017

O QUE DEUS QUER EDIFICAR ATRAVÉS DE NÓS


Deixando, pois, toda malícia, e todo engano, e fingimentos, e invejas, e todas as murmurações, desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leito racional, não falsificado, para que, por ele, vades crescendo, se é que já provastes que o Senhor é benigno. E, chegando-vos para ele, a pedra viva, reprovada, na verdade, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa, vós também, como pedra vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecerdes sacrifícios espirituais, agradáveis a Deus, por Jesus Cristo. I Pedro 2:1-5.

Para podermos compreender melhor o que o apóstolo Pedro está escrevendo precisamos entender a partidos dos versos 22 e 23 do capítulo 1 – “Já que tendes purificado as vossas almas na obediência à verdade, que leva ao amor fraternal não fingido, de coração amai-vos ardentemente uns aos outros, tendo renascido, não de semente corruptível, mas de incorruptível, pela palavra de Deus, a qual vive e permanece.” Já que fomos de novo gerados pela semente incorruptível que é Jesus Cristo precisamos deixar, não é pedir a Deus que tire de nós, não, somos nós de deixamos. Pedro cita cinco atitudes ou obras da carne:
Malícia – que a tendência para o mal, astúcia. Colossenses 3:8;
Todo engano – Efésios 4:22;
Fingimentos – parecer ser o que não é, falsidade.
Invejas – Desgosto, pesar pela felicidade de outro, desejo violento de possuir o bem alheio – Tiago 3:14, 16;
Murmurações – difamação, maledicência. Romanos 1:30. Hebreus 12:1.


Segundo o apóstolo Pedro se houver essas coisas em nós não estamos aptos para desejar afetuosamente como meninos novamente nascidos o leito racional não falsificado para que possamos crescer (Mateus 18:3). Uma nova vida precisa de alimento adequado. Assim como uma criança recém nascida precisa do leite materno, porque esse leite é completo que vai fazer com que essa criança se desenvolva naturalmente, o leite falsificado é a pule ou mamadeira que é uma invenção humana em que muitas mulheres utilizam desse artifício para não estragar o corpo. Nós também como meninos novamente nascidos precisamos do leite racional que é a Palavra de Deus. Assim devem ser os desejos dos cristãos para com a Palavra de Deus para que possamos crescer fortes. Um desejo forte e afetuoso pela Palavra de Deus são evidências corretas de que a pessoa nasceu de novo. Agora Pedro acrescenta um argumento que faz parte da nossa experiência – se é que já provastes que o Senhor é benigno. Se você já provou a benignidade do Senhor, você agirá da forma que foi exposta. Sendo assim devemos nos achegar para ele (Jesus) pedra viva, reprovada na verdade pelos homens (pois foi rejeitado pelo povo de Deus (Judeus) e pelo mundo (na pessoa do império Romano - Mateus 21:42, Atos 4:11). Nós também como pedras vivas somos edificados casa espiritual e sacerdócio santo, com um objetivo claro e definido que é oferecer sacrifícios espirituais, agradáveis a Deus. A igreja é a casa espiritual, o fundamento é Cristo (Efésios 2:20-22). Os construtores são os ministros (I Coríntios 3:10). Deus é quem vai morar (Efésios 2:22). A igreja é espiritual porque tem um fundamento espiritual, Cristo Jesus; o material de construção são pedras vivas (são pessoas espirituais), os móveis utilizados nesta casa são as virtudes do Espírito Santo, o uso dessa casa, que é a obra espiritual, essa obra é oferecer sacrifícios espirituais. Os sacrifícios espirituais que os cristãos devem oferecer são seus corpos, alma, afetos, orações, louvores, dízimo e outras obrigações (Romanos 12:1; 6:13; I Coríntios 6:20). Deus não aceita sacrifícios de pessoas boas, Ele só aceita os sacrifícios feitos por meio de Jesus Cristo, porque ele é o único sumo sacerdote em quem os nosso cultos são aceitos (Hebreus 2:17; 8:3).
#renovandooentendimento

5 de ago de 2017

O QUEBRANTAMENTO INCURÁVEL



“O homem que muitas vezes repreendido endurece a cerviz será quebrantado de repente sem que haja cura.” Provérbios 29:1

Este versículo de Provérbios tem uma complexidade na sua interpretação, mas, partindo do princípio de que o primeiro entendimento é o que serve como base de interpretação, podemos interpretar esse versículo que quando o homem (ser humano) repreendido pelo Senhor diretamente ou através de outros instrumentos para tal e não se inclina a vontade ou a Palavra de Deus, o Senhor Deus o quebrantará com um quebrantamento sem que haja cura ou seja ficará marcado para sempre por este quebrantamento para trazer sobre o quebrantado temos e tremor a Deus.
Em Jeremias 10:19 – “Ai de mim por causa do meu quebrantamento! A minha chaga me causa grande dor, e eu havia dito: Certamente isto é enfermidade que eu poderei suportar.” Neste versículo vemos que o quebrantamento que o Senhor trouxe sobre a Casa de Israel foi uma enfermidade que causava grande dor.
Lamentações 2:11 – “Já se consumiram os meus olhos com lágrimas, turbada está a minha alma, o meu coração se derramou pela terra, por causa do quebrantamento da filha do meu povo, pois desfalecem os meninos e as crianças de peito pelas ruas da cidade.”
Lamentações 3:47 – “Temor e cova vieram sobre nós, assolação e quebrantamento.” Os inimigos trouxeram o quebrantamento por não ouvirem ao Senhor.
Olhando para isso devemos ser sábios e sejamos quebrantado de coração ao Senhor para que não sejamos por ele quebrados sem que haja cura, pois o Senhor Deus deseja pessoas quebrantado e contrita – “Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus.”
“Porque assim diz o Alto e o Sublime, que habita na eternidade, e cujo nome é Santo: Num alto e santo lugar habito; como também com o contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos, e para vivificar o coração dos contritos.”
#renovandooentendimento

2 de ago de 2017

DEUS ESTÁ A PROCURA ....



Desde o Éden Deus busca alguém com quem possa ter comunhão, ter uma união comum. Essa busca está bem enfatizada em sua Palavra:
“Porque quanto ao Senhor, seus olhos passam por toda a terra, para mostrar-se forte para com aqueles cujo coração é perfeito para com ele, ...” II Crônica 16:9.
“Deus olhos desde os céus para os filhos dos homens, para ver se havia algum que tivesse entendimento e buscasse a Deus.” Salmo 53:2.
“Os meus olhos procurarão os fiéis da terra, para que estejam comigo, o que anda num caminho reto, esse me servirá.” Salmo 101:6.
Podemos pensar: “Ah, isso era no Velho Testamento, agora não é assim, Jesus já nos reconciliou com Deus, e já temos comunhão com o Pai.” O Senhor Jesus conversando com a mulher de Samaria disse: “Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade, porque o Pai procura a tais que assim o adorem.” João 4:23. Neste texto vemos claramente o Senhor Jesus afirmar que o Pai procura os verdadeiros adoradores. Muitos podem até ter uma comunhão até certo ponto, enquanto o assunto em comum que os une é do seu interesse. Mas o Pai quer ter uma comunhão íntima e isso só pode acontecer com adoradores que o adorem em espírito e em verdade. Para termos um pequeno vislumbre disso, precisamos saber qual o significado da palavra adorar.
Se olharmos para a Palavra de Deus entenderemos que adorar tem uma íntima ligação com cantar, prostrar, derramar aos pés e por isso sempre que falamos em adorar logo nos vem a mente música, louvor. Ainda que tudo isso faz parte da adoração, mas, quero enfatizar aqui um outro lado que exerce maior poder para que possamos cantar, louvar ao Senhor. Essa palavra adorar tem um significado muito mais intenso que quer dizer: amar extremadamente ou seja, um amor que chega a extremos. O Senhor Jesus em alguns momentos falou sobre esse amor que chega a extremos:
 “Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim; e quem ama o filho ou a filha mais do que a mim não é digno de mim. Mateus 10:37.
“... e que amá-lo de todo o coração, e de todo o entendimento, e de toda a alma, e de todas as forças ....” Marcos 12:33.
Amar a Deus da forma como está escrito em Marcos é um amor extremado. Vejamos um exemplo bíblico desse amor que está em Atos 7;57-60, neste texto Estevão amou ao Senhor ao extremo que deu sua vida por esse amor.
Na conversa com a mulher de Samaria, Jesus mostra que não é o lugar, mas o coração daquele que adora, e a atitude.  Essa adoração ou amor extremo só pode ser vivido através do espírito e em verdade.

Em espírito porque precisamos depender do Espírito Santo falando ao nosso espírito e em verdade que quer dizer com sinceridade ou com um coração correto. Se queremos ter uma íntima comunhão com Deus precisamos amá-lo ao extremo. Todo avivamento que a história nos mostra iniciou com pessoas amando a Deus ao extremo. Ame a Deus ao extremos e veja o que Ele pode fazer.
#renovandooentendimento

15 de jul de 2017

SOMOS AQUILO QUE ACEITAMOS RECEBER



“E ouviram a voz do Senhor Deus, que passeava no jardim pela viração do dia; e escondeu-se Adão e sua mulher da presença do Senhor Deus, entre as árvores do jardim. E chamou o Senhor Deus a Adão e disse-lhe: Onde estás?” Gênesis 3:8,9.

Nestes versículos a Palavra mostra Deus vindo em busca de Adão e Eva no jardim pela viração do dia. E chamou o Senhor Deus a Adão. Isto infere que era costume de Deus vir ter com Adão para comunhão na viração do dia. Só que neste dia o Senhor Deus precisou chamar a Adão, pois provavelmente nos outros dias passados não precisava por Adão ouvir a voz do Senhor e ir ter com Ele. Neste dia Deus precisou chamar, algo havia acontecido. Adão havia perdido a comunhão com Deus, havia perdido a sua liberdade de estar diante de Deus, havia agora um medo terrível de Deus, o que aconteceu? Adão decidiu ouvir a voz da serpente (Satanás) ao invés de ouvir a voz do Senhor Deus. A consequência foi morte, foi lhe roubado a comunhão com Deus e o passo inicial para a destruição foi o medo, que o afastou de Deus pois sua consciência estava culpada, o inimigo do Senhor Deus já tinha iniciado seu ministério (“O ladrão não vem senão para roubar matar e destruir; ...” João 10:10). Muitas e muitas vezes criticamos a atitude de Adão e até gostaríamos de saber o que teria acontecido se Adão obedecesse a Deus. Esse fato é imutável, mas quantas vezes Deus quer ter comunhão conosco e não tem um retorno nosso, esse fato sim, pode ser mudado.
O Senhor Deus busca com quem Ele possa ter comunhão, isto vemos muito claro em sua Palavra: “Porque, quanto ao Senhor, seus olhos passam por toda a terra, para mostrar-se forte para com aqueles cujo coração é perfeito para como ele; ...” II Crônicas 16:9.
“Deus olhou desde os céus para os filhos dos homens, para ver se havia algum que tivesse entendimento e buscasse a Deus.” Salmo 53:2.
“Os meus olhos procurarão os fiéis da terra, para que estejam comigo; o que anda num caminho reto, esse me servirá.” Salmo 101:6.
Olhando para Adão e sua atitude de ouvir a serpente, a grande lição a ser aprendida é não ouvir, não buscar conselho fora do Reino de Deus. Não ouvir as diversas vozes que estão no mundo. Isso também há um grande alerta na Palavra de Deus.
“Bem-aventurado o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite.” Salmo 1:1,2.
“Não entres na vereda dos ímpios, nem andes pelo caminho dos maus. Evita-o; não passes por ele; desvia-te dele e passa de largo. Provérbios 4:14,15.
“Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes.” I Coríntios 15:33.
Para não cairmos no erro de Adão:
  • ·         Devemos primeiramente buscar a Palavra do Senhor (Josué 1:8);
  • ·         Buscar conselheiro sábios no Senhor (Provérbios 11:14; 15:22).
#renovandooentendimento

10 de jul de 2017

QUE BAGAGEM CARREGAMOS

Uma lenda popular do Oriente conta que um jovem chegou à beira de um oásis junto a um povoado e aproximando-se de um velho perguntou-lhe: _Que tipo de pessoas vive neste lugar? O ancião perguntou então: E que tipo de pessoas vive no lugar de onde você vem?  Um grupo de egoístas e malvados – replicou o rapaz – estou satisfeito de ter saído de lá. A mesma coisa você haverá de encontrar por aqui. _ O velho replicou. No mesmo dia, um outro jovem se acercou do oásis para beber água e vendo o ancião perguntou-lhe: Que tipo de pessoas vive por aqui? O velho respondeu com a mesma pergunta: _ Que tipo de pessoas vive no lugar de onde você vem? O rapaz respondeu: Um magnífico grupo de pessoas amigas, honestas, hospitaleiras. Fiquei muito triste por ter de deixá-las. _ O mesmo encontrará por aqui – respondeu o ancião. Um homem que havia escutado as duas conversas perguntou ao velho: Como é possível dar respostas tão diferentes à mesma pergunta? Ao que o velho respondeu: Cada um carrega no seu coração o meio ambiente em que vive. Aquele que nada encontrou de bom nos lugares por onde passou não poderá encontrar outra coisa. Aquele que encontrou amigos ali também os encontrará aqui.
Considerando esta lenda podemos então entender que tipo de bagagem nós temos carregado. A bagagem que carregamos se deixa evidenciar por aquilo que falamos. Jesus Cristo deixa isso muito claro em Mateus 12:33,35; 15:18, “Ou fazeis a árvore boa e o seu fruto, bom, ou fazeis a árvore má e o seu fruto, mau; porque pelo fruto se conhece a árvore. .... O home bom tira boas coisas do seu bom tesouro, e o homem mau, do mau tesouro, tira coisas más”.  “... Mas o que sai da boca procede do coração, e isso contamina o homem”.
Tiago ao escrever sua carta dedica mais da metade de um capítulo falando sobre a língua. A nossa língua expõe o nosso coração ou a bagagem que carregamos e ele diz: Tiago 3:2. No verso 11 ele então coloca algo muito interessante “da mesma fonte pode jorrar agua doce e salgada? De onde vem a água que a fonte despeja? Vem do aquífero ou seja da profundidade da terra. Isso concorda com o que Jesus ensina: que a boca fala do que o coração está cheio. O coração podemos entender como o aquífero e a boca a fonte e as palavras são as águas que saem da fonte. Nós podemos nos alimentar de um dos dois aquífero:
·         De Jesus Cristo que é o aquífero de águas vivas – João 4:10,14; 7:38.
·         Da carne – João 3:6; 6:63; Gálatas 5:16,19,24; 6:8

De qual dos aquífero estamos nos alimentando? Da carne ou do espírito? #renovandooentendimento

2 de jul de 2017

OUVINDO COM OUVIDO DE OUVIR PARA DISCERNIR O FERMENTO DOS FARISEUS



E, passando seus discípulos para a outra banda, tinham-se esquecido de fornecer-se de pão. E, Jesus disse-lhes: Adverti e acautelai-vos do fermento dos fariseus e saduceus. E eles arrazoavam entre si, dizendo: É porque não nos fornecemos de pão. E Jesus percebendo isso, disse; Por que arrazoais entre vós, homens de pouca fé, sobre o não vos tendes fornecido de pão? Não compreendeis ainda, nem vos lembrais dos cinco pães para cinco mil homens e de quantos cestos levantastes? Nem dos sete pão para quatro mil e de quanto cestos levantastes? Como não compreendestes que não vos faleis a respeito de pão, mas que vos guardásseis do fermento dos fariseus e saduceus? Então, compreenderam que não dissera que se guardassem do fermento do pão, mas da doutrina dos fariseus. Mateus 16:5-12.

            Neste texto Jesus alerta seus discípulos sobre o fermento dos Fariseus e Saduceus. Para compreendermos melhor precisamos saber quem são essas pessoas. Os Fariseus e Saduceus eram dois grupos de seitas Judaicas. A palavra Fariseu significa Separados, provavelmente em sentido ritual, eles observavam tanto as leis rabínicas como a lei mosaica (eram legalistas). Criam na ressurreição e em anjos.
Saduceus eram os que tinham maior influência política e controlavam o sacerdócio. Não acreditavam em anjo e nem na ressurreição. Para ele somente os cinco primeiro livros da Bíblia eram autoridade.
Quando Jesus os alerta sobre o fermento dos Fariseus e Saduceus eles não compreenderam e pensaram que Jesus os repreendia pela falta de pão. Jesus então os chama de homens de pequena fé. Em outras ocasiões Jesus os chamou assim (Mateus 6:30; 8:26; 14:31). Foi uma repreensão por causa da pequena fé e da compreensão inadequada. Muitas vezes também agimos assim, como não atentamos com seriedade para as Palavras de Jesus, também não compreendemos completamente, pois precisamos de ouvidos de ouvir para que a nossa fé possa crescer e não ficar pequena. Jesus então os lembra dos milagres dos pães multiplicados. Será que Jesus não era capaz de alimentá-los? Será que nós muitas vezes não somos lentos em aprender as verdades eternas que Deus quer nos ensinar por causa do nosso pré-condicionamento. Esse nosso condicionamento vem da nossa vida religiosa anterior a nossa conversão, o que leva muitas vezes a duvidarmos de Jesus e não compreendermos corretamente a sua Palavra.

Após Jesus relembrar os milagres da multiplicação, eles entenderam que Jesus falava da doutrina dos Fariseus e Saduceus. Afinal qual era essa doutrina? Lucas 12:1 “Ajuntando-se, entretanto, muitos milhares de pessoas, de sorte que se atropelavam uns aos outros, começou a dizer aos seus discípulos: Acautelai-vos, primeiramente, do fermento dos Fariseus, que é a hipocrisia”. Jesus em várias ocasiões os confrontou com esta atitude (Mateus 6:5; 23:23,25). Os esta ordenança Jesus quer ensinas os discípulos e a nós a estar vigilantes para não ser enganados por doutrinas que têm apenas uma boa aparência. Para completar essa lição Ele os leva para Cesaréia de Felipe e lhes faz uma pergunta: “Quem dizem os homens ser o Filho do Homem?  #renovandooentendimento

26 de jun de 2017

FRUTO DA ÁRVORE DO CONHECIMENTO DO BEM E DO MAL



“E o Senhor Deus fez brotar da terra toda árvore agradável à vista e boa para comida, e a árvore da vida no meio do jardim, e a árvore do conhecimento do bem e do mal.
E ordenou o Senhor Deus ao homem, dizendo: De toda árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás”. Gênesis 2:9,16,17.
Comumente quando se fala da árvore do conhecimento do bem e do mal evidencia-se sempre o lado mal dessa árvore mas, pouco ou quase nada se fala do lado bom da árvore. Porque a árvore do conhecimento do bem e do mal não tem só mal, mas tem também o bem. Em geral todos os cristãos pensam e agem deixando de lado sempre o mal e recebendo o bem.
Em nosso serviço ao Senhor, muitas vezes o fazemos segundo a árvore do conhecimento porque usamos o lado bom do fruto. Isso não significa que o Senhor aprove o nosso trabalho por melhor que ele seja. Inclusive há o habito de se dizer que devemos fazer o nosso melhor para Deus, mas na maioria das vezes essa lado melhor e feito segundo a árvore do conhecimento e não segundo Deus deseja que seja feito. Podemos fazer o nosso melhor e Deus mesmo assim não aceita-lo por ser feito segundo a árvore do conhecimento.
Muito do que a Igreja tem feito para Deus, tem feito segundo a árvore do conhecimento. Como isso se evidencia? Hoje existe um número quase incontável de igreja cristãs que estão falando sobre a Bíblia, fazendo diversos trabalhos evangelísticos e tantos outros, mas o que vemos é que o pecado continua crescendo, a violência continua em crescimento. Se a Igreja estivesse fazendo algo para Deus o mundo estaria em outras condições. Temos o testemunho da história para isso, pois onde chegou o evangelho de Cristo as pessoas foram transformadas e abandonaram o pecado. Países que não eram cristãos e se converteram deixaram seus deuses e seus costumes pecaminosos. Por incrível que pareça o mundo não está se convertendo ao evangelho de Cristo, mas a Igreja está trazendo para si as coisas do mundo e quanto a isso não preciso aqui citar nenhuma dessas coisas pois os que estão buscando viver o evangelho de Cristo sabe muito bem o que são essas coisas.
O perigo de fazermos as coisas para Deus segundo a árvore do conhecimento é muito grande, pois o rei Davi incorreu nesse erro. Quando os Filisteus tinham tomado a arca da Aliança que era a presença de Deus para o povo e o rei Davi foi busca-la, ele fez o melhor dele para Deus, pois pegou um carro de boi novo, pois para Deus tudo precisa ser puro, para trazer a arca, mas acontece que houve uma morte nesta tarefa e Davi teve temos de Deus (I Crônicas 13:6,9,12). O Rei Davi resolveu buscar o Senhor para saber como ele poderia transportar, então ele determinou que os Levitas deveriam trazer a arca, pois eles foram eleitos por Deus para essa tarefa (I Crônicas 15:1-3). O Rei Davi fez conforme a vontade de Deus e não segundo o seu melhor, e Deus aceitou.
Precisamos parar de comer da árvore do conhecimento do bem e do mal e começarmos a comer da árvore da vida. Comer da árvore da vida é nos conformarmos a imagem do Senhor Jesus Cristo. Em Efésio 4:22-24, o apóstolo Paulo mostra como nos conformamos a essa imagem, quando diz: que devemos nos desvestir do velho homem, que devemos nos renovar em nosso entendimento e nos revestir do novo homem que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade. No mesmo capítulo de Efésios nos versos 25 em diante, ele mostra como isso é feito na prática: aquele que mentia, deve para de mentir e deve começar a falar a verdade; aquele que roubava deve para de roubar mas deve trabalhar com suas mãos e repartir com os que tem necessidade. A transformação só acontece quando nós completamos o ciclo de transformação que é: deixar o velho e fazer o novo. Se leio a Palavra de Deus, deve praticar essa Palavra, pois só ler não transforma ninguém, o que transforma é ler e viver o que lê. Esse é o ciclo da transformação.

O apóstolo Paulo trabalhava nesse sentido, para que Cristo pudesse ser formado na Igreja. “Meus filhinhos, por quem de novo sinto as dores de parto, até que Cristo seja formado em vós, ...” Efésios 4:19. Esse é o grande alvo do Evangelho de Cristo, que Cristo seja formado na Igreja. A Igreja foi deixada na terra para completar a obra de Cristo ou seja que ela seja Cristo na terra, por isso é que a igreja é o corpo de Cristo, para demonstrar Cristo para o mundo, coisa que ela está falhando em fazer. Aqueles que tem sido despertado, precisa buscar no Senhor ser transformado na semelhança de Cristo. #renovandooentendimento

19 de jun de 2017

CRISTO EM VÓS



          Ser conformado a imagem do Filho de Deus.

Há um tom muito forte no meio evangélico, esse tom está nas conversas, nas pregações e muitos estão proclamando esse tom. Esse tom tem feito a Igreja do Senhor Jesus se concentrar sobre quem nós somos e o que nós temos em Cristo. Mas saber quem nós somos é somente um lado da moeda, mas em contrapartida o inimigo de nossas almas tem nos feito esquecer o outro lado da moeda. Se nós somos e temos alguma em Cristo, o outro lado é o que Cristo é e o que tem em nós. É muito importante sabermos que em Cristo somos novas criaturas (2 Coríntios 5:17), que somos filhos de Deus (João 1:12), que em Cristo temos a vida eterna (João 3:12) e assim tantos outros versículos mostrando o que somos e o que temos em Cristo.
Colossenses 1:27 – Cristo em vós esperança da Glória. Não é somente o que somos em Cristo, isto é nossa identidade e todos nós temos que ter bem claro essa nossa identidade, porque é sobre ela que o inimigo de nossas almas vem trazer dúvidas com um objetivo claro de nos tirar essa identidade ou nos tirar da nossa posição em Cristo. Mas, o tão grande e importante fato é Cristo em nós. O apóstolo Paulo quando escreve aos Gálatas ele diz que: ele não vive mais, mas é Cristo que vive nele (Gálatas 2:20). O objetivo do Espírito Santo em nós é nos conformar a imagem do Filho (Romanos 8:28-30) o próprio Jesus Cristo disse isso do ministério do Espírito Santo (João 14:26; 16:13). O apóstolo Paulo também trabalhava para formar Cristo nos membros das Igrejas das quais ele era o apóstolo (Gálatas 4:19). O apóstolo João também nos faz um alerta sobre isso (I João 2:6).
Quando ficamos somente focados no que nós somos em Cristo, não somos transformados olhando para nós mesmos, mas, somos transformados olhando para Jesus que é o autor e consumador da nossa fé (Hebreus 12:2). Fomos salvos quando olhamos para Cristo crucificado, e somos transformados quando olhamos para Cristo glorificado. É por contemplarmos a glória do Senhor que somos transformados a sua imagem, a qual é a imagem que a igreja foi chamada a ter.
Agora eu pergunto: Quanto Cristo tem em você?
O que quero dizer com isso! Vou explicar usando as palavra do Senhor Jesus que está em João 14:30, aqui Jesus se refere a Satanás e Ele diz que Satanás não tinha nada em Jesus. Ele estava dizendo que não havia nada de corrupção ou seja de porta aberta em Jesus que Satanás pudesse usar para leva-lo a pecar. Satanás não poderia tirar a sua vida, mas assim mesmo Ele morreria.

Quando pergunto o que Cristo tem em você, é quanto da vida de Cristo está fluindo em você. Será que poderíamos dizer como o apóstolo Paulo disse, que não era ele que estava vivendo, mas Cristo é quem vivia nele? Precisamos nos manter focados na obra que o Senhor quer realizar em nós, pois fomos chamados para sermos conforme a imagem do Senhor Jesus, deixe o Espírito Santo moldar Cristo em você. # renovandooentendimento

10 de jun de 2017

ACONTECIMENTO QUE ANTECEDEM A CELEBRAÇÃO DA ÚLTIMA PÁSCOA



Muitos, pois, dentre os judeus que tinham vindo a Maria e que tinham visto o que Jesus fizera creram nele. Mas alguns deles foram ter com os fariseus e disseram-lhes o que Jesus tinha feito. Depois, os principais dos sacerdotes e os fariseus formaram conselho e diziam: Que faremos? Porquanto este homem faz muitos sinais. Se o deixarmos assim, todos crerão nele, e virão os romanos e tirar-nos-ão o nosso lugar e a nação. E Caifás, um deles, que era sumo sacerdote naquele ano, lhes disse: Vós nada sabeis, nem considerais que nos convém que um homem morra pelo povo e que não pereça toda a nação. Ora ele não disse isso de si mesmo, mas, sendo o sumo sacerdote naquele ano, profetizou que Jesus devia morrer pela nação. E não somente pela nação, mas também para reunir em um corpo os filhos de Deus que andavam dispersos. Desde aquele dia, pois, consultava-se para o matarem. João 11:45-53.

     Neste texto vemos como a ressurreição de Lazaro atingiu a todo o povo principalmente os principais dos sacerdotes e fariseus. Após ouvirem o relato sobre a ressurreição de Lazaro os principais dos sacerdotes e os fariseus formaram um conselho ou seja, reuniram o Sinédrio, a mais alta corte de Israel para discutirem sobre os últimos acontecimentos. Observando esses versos vamos considerar algumas reações das autoridades religiosas diante dos feitos de Jesus. Nestas reações veremos uma luta entre Deus e Satanás.
1.      A primeira reação bem evidente neste texto aparece através de uma pergunta (Verso. 47-48). Eles como cegos espirituais, Jesus os classificou assim (Mateus 15:12-14), não estavam preocupados com o Reino de Deus. Egoístas, orgulhosos e sedentos pelo poder, as autoridades religiosas de Israel estavam mais preocupados em manter-se no controle! Eles queriam controlar tudo o que acontecia na nação.
2.      Vemos uma segunda reação através de uma palavra com um intuito perverso (verso.49,50). Eles estão diante de um impasse, o que fazer? De um lado estava Jesus com seus feitos miraculosos e seus ensinos espetaculares e do outro lado, a tradição e a manutenção da letra da Lei e o poder.
3,    Como terceira reação se percebe através de uma profecia (verso 51,52). Apesar das intenções diabólicas, da parte do sumo sacerdote, podemos perceber o entendimento espiritual de João. Mesmo sem saber, Caifás profetizou que Jesus morreria pelo povo e João acrescenta por todos quantos, em qualquer lugar viessem a crer nele (verso 52). Você crê em Jesus como Cristo, o filho de Deus, o Deus encarnado? Se você crê em Jesus, está incluído nesse corpo, a igreja de Cristo!
4.   Outra reação observamos através de um propósito homicida. Em função da palavra de Caifás, o Sinédrio tomou uma decisão (verso 53). Decidiram matar Jesus! Decidiram matar o autor da vida! A decisão foi tomada, aguardavam apenas uma boa oportunidade para que a executasse tal decisão. Os líderes achavam que estavam no controle da situação, mas, na verdade, era Deus quem colocava o seu plano em andamento (Atos 2: 22-24). 
Glórias ao Senhor Deus pois os seus planos não são frustrados (Jó 42:2). Porque os planos de Deus prevaleceu é que estamos hoje aqui, celebrando e comemorando a Ceia do Senhor. Lembrando essa grande obra de Salvação, de Reconciliação, que transformou nossas vidas. #renovandooentendimento

5 de jun de 2017

O VERDADEIRO CIDADÃO DOS CÉUS



SALMO 15

Neste salmo, Davi apresenta quem vai habitar nos céus. Ele inicia o salmo fazendo duas perguntas: Quem habitará no teu tabernáculo? Quem morará no teu santo monte? Era no tabernáculo que o Senhor Deus se manifestava e era no tabernáculo que Ele se encontrava com seu povo. Habitar no tabernáculo significa estar convivendo com o próprio Deus, falando com Ele e ouvindo-o. O santo monte é o monte Sião, sobre o qual o templo seria e foi construído por Salomão. É de suma importância sabermos quem lá morará, para que possamos assegurar o nosso lugar.
Davi responde as duas perguntas nos versos dois ao cinco. Ele inicia sua resposta dizendo que habitará e morar com Deus nos céus aquele que anda em sinceridade, andar significa conduta, como andamos nesta terra e em convivência com as pessoas (I Coríntios 10:32; Efésio 4:1).
Pratica a justiça, fala de caráter ou seja que expressemos o caráter do Senhor Jesus, como o próprio Senhor Jesus apresenta em Mateus 5: 3-12. Porque fomos chamados para sermos conforme a imagem do Senhor Jesus Cristo (Romanos 8:28-30), a imagem fala do caráter de Cristo em nós.
Fala verazmente segundo o seu coração, usa palavras verdadeiras, sinceras. Uma pessoa que não usa de mentiras e subterfúgios como a serpente uso através de palavras enganosas e enganou a Eva, levando a pecar diante do Senhor.
Nos versos 3 ao cinco, o salmista continua acrescentando outros requisitos importantes para aquele que seja habitar e morar com o Senhor nos céus (I Coríntios 13; I Coríntios 6:7).
O profeta Isaias assim como o salmista Davi também fez algumas perguntas e igualmente apresentou a resposta.

            Os pecadores de Sião se assombraram, o tremor surpreendeu os hipócritas. Quem dentre nós habitará com o fogo consumidor? Quem dentre nós habitará com as labaredas eternas? O que anda em justiça e que fala com retido, que arremessa para longe de si o ganho de opressões, que sacode das suas mãos todo presente; que tapa os ouvidos para não ouvir falar de sangue e fecha os olhos para não ver o mal, este habitará nas alturas; as fortalezas das rochas serão o seu alto refúgio, o seu pão lhe será dado, e as suas águas serão certas. Isaias 33:14-16. #renovandooentendimento

26 de mai de 2017

O QUE TEM VALOR NO REINO DE DEUS



Também o Reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido num campo que um homem achou e escondeu, e, pelo gozo dele, vai, vende tudo o quanto tem e compra aquele campo.
Outrossim, o Reino dos céus é semelhante ao homem negociante que busca boas pérolas; e, encontrando uma pérola de grande valor, foi, vende tudo quanto tinha e comprou-a.
Igualmente, o Reino dos céus é semelhante a uma rede lançada ao mar e que apanha toda qualidade de peixes. E, estando cheia, a puxam para a praia e, assentando-se, apanham para os cestos os bons; os ruins porém, lançam fora.
Assim será na consumação dos séculos; virão os anjos e separarão os maus dentre os justos. Mateus 13:44-49.

Neste texto o Senhor Jesus conta três parábolas assemelhando o Reino dos céus com três coisas valiosas, primeiro um tesouro escondido, segundo a pérola de grande valor e por último a uma rede. Vamos permitir que o Espírito de Deus nos ensine sobre essas parábolas.
Na primeira parábola o tesouro escondido que um homem achou encontra-se num campo segundo a própria Palavra de Deus o campo é o mundo (Mat. 13:38), esse homem compra o campo o grande objetivo de homem não era o campo e sim o tesouro escondido que nele estava. Este tesouro é a Igreja, o povo do Senhor, por isso que o homem vende tudo o quanto tem e compra o campo (Filipenses 2:5-8). A Igreja como o tesouro escondido não está na sua beleza moral e, em certo sentido divina, mas como objeto especial dos desejo e do sacrifício do Senhor. O Tesouro que tinha achado neste mundo, segundo os planos e propósitos de Deus. Assim, o Senhor acha a Igreja e esconde neste campo. A igreja do Senhor Jesus está escondida neste mundo. Quando se tem a revelação do que é Igreja, esse que achou vendo tudo assim como o Senhor Jesus fez.
Na segunda parábola temos basicamente o mesmo princípio, um homem negociante que procura boas pérolas e quando encontra uma pérola de grande valor, vende tudo quanto tinha e compra. É importante notarmos que as pérola se desenvolvem dentro da ostra e pra ser mais claro a pérola é produzida pela sofrimento, quando um grão de areia ou qualquer outra coisa entra na ostra, o mecanismo de defesa da ostra entra em ação e produz a pérola. A ostra fica no fundo do mar e sabemos que o mar é composto por águas (Apocalipse 17:15) essas água são nações, povos, multidões e línguas. Assim mais uma vez o Senhor Jesus está apontando para a sua Igreja que foi formada pelo seu sofrimento na cruz. Ele é o homem negociante que achou a grande pérola que é a Igreja.
Na terceira parábola assemelha o Reino dos céus a uma rede que é lançada no mar e que apanha toda qualidade de peixes. Quando está cheia apanham para o cesto os bons; os ruins porém lançam fora. O mar é o mundo, a rede é o Evangelho, os pescadores são os que lançam a rede ou seja os que pregam o evangelho, e o evangelho como uma rede apanha todo tipo de peixe. Na Igreja existe os verdadeiros cristãos assim como também os falsos cristãos, nós não temos condições de afirmar com certeza quem é quem, então fazer a separação do que é bom e do que é mau não cabe a própria Igreja mas, é uma função do anjos como diz no verso 49. Cabe sim, a Igreja julgar as atitudes de seus membros, mas não julgar as intenções ou motivações, porque as atitudes são coisas visíveis e as intenções são coisas invisíveis e pertence ao interior e nós só olhamos o exterior (I Coríntios 5:12).

Aprendemos com essas parábolas que nosso Senhor Jesus Cristo ama a Igreja, e que por causa dela que Ele sofreu, padeceu para formar essa Igreja e quer apresenta-la para si mesmo (Efésios 5:25-27). Assim nós também devemos pregar o Evangelho por amor ao Senhor que amou o mundo de tal maneira que deu a sua vida por esse mundo (João 3:16) para formar a igreja e Ele espera que nós cooperamos com Ele nesta edificação da Igreja. #renovandooentendimento

19 de mai de 2017

ATITUDE DAQUELE QUE CLAMA MARANATA




Estejam cingidos os vossos lombos, e acesas, as vossas candeias. E sede vós semelhantes aos homens que esperam o seu senhor, quando houver de voltar das bodas, para que, quando vier e bater, logo possam abrir-lhe. Bem-aventurado aqueles servos, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando! Em verdade vos digo que se cingirá, e os fará assentar à mesa, e, chagando-se os servirá. E se vier na segunda vigília, e se vier na terceira vigília, e os achar assim, bem-aventurados são os tais servos. Sabei, porém, isto: se o pai de família soubesse a que hora havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa. Portanto, estai vós também apercebidos porque virá o Filho do Homem à hora que não imaginais. Lucas 12:35-40.

Neste texto o Senhor Jesus alerta a estarem prontos e a se prepararem para a sua vinda. Assim, como quando o Senhor Deus enviou Moisés para libertar o povo do Egito antes da décima praga mandou o povo se preparar para a saída e a palavra utilizada para isso foi os lombos cingidos (Êxodo 12:11). Tanto o apóstolo Paulo como Pedro também orienta a estarmos com os nossos lombos cingidos para podermos lutar com as trevas e para vivermos nesta vida, estando assim prontos para a vinda de nosso Senhor.
O Senhor Jesus agora mostra como devemos ser semelhantes, aqui ele faz uma comparação entre os homens que esperam o seu Senhor, que ficam preparados esperando e quando o senhor bater eles estão prontos a abrir a porta e então o senhor os porá à mesa e os servirá que fala das coroas que receberão aqueles que o esperam e estão prontos para abrir a porta. Era isso que o Senhor esperava quando bateu a porta da Igreja de Laodiceia que alguém abrisse e se isso acontecesse Jesus o poria a mesa e o serviria (Apocalipse 3:20).
O Senhor deseja que seus servos tenham um sistema de atitudes e ações para recebe-los quando Ele vier, seja na segunda vigília ou na terceira, não importa quanto tempo leva para Ele vir o que importa é que seus servos tenham esse sistema de atitudes e ações ou seja que estejam vigilantes, que não tenham nada que os atrapalhem no momento de receber o seu senhor ou para correrem se for necessário (Hebreus 12:1) e que mantenham suas candeias acessas. As candeias ou lâmpada representam o servo e para que as candeias estejam acessa necessita de óleo e o óleo representa o Espírito Santo agindo nos servos o qual os deixa acesso, os deixa em alerta, prontos, preparados, foi o que aconteceu na parábola das dez virgens onde cinco tinham óleo de reserva e cinco não tinham por isso elas foram qualificadas como prudentes as que tinham óleo em reserva e de loucas as que não tinham e por não ter quando o noivo chegou elas ficaram de fora porque foram procuram quem vendesse óleo e chegaram atrasadas e o noivo declarou não as conhecer ( Mateus 25:1-13).
O Senhor Jesus dá outro alerta aos seus servos se o pai de família soubesse a hora que o ladrão viria, ele então estaria pronto a sua espera e não deixaria o ladrão roubar, mas como ladrão nenhum marca hora para roubo o pai de família precisa se preparar para um eventual roubo a qualquer hora que o ladrão resolver vir. Assim, devem seus servos estarem pronto pois diz o Senhor: o Filho do Homem virá quando menos esperamos. O próprio Jesus também não sabe a que horas virá, pois isso pertence ao Pai, somente o Pai sabe a hora e o Senhor Jesus saberá somente no momento exato de voltar (Mateus 24:36).

Não podemos nos agarrar em questão teológica sobre a volta do Senhor Jesus se primeiro acontecerá a tribulação, se a igreja será arrebatada antes da tribulação ou qualquer outra teoria sobre a segunda vinda o Senhor. Precisamos sim, estar prontos para recebermos o Senhor Jesus Cristo a qualquer momento. Necessitamos estarmos imbuídos do pensamento de que o Senhor virá no minuto seguinte de nossa vida.
#renovandooentendimento

9 de mai de 2017

O CARÁTER DAS PESSOAS DOS ÚLTIMOS DIAS



Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. II Timóteo 3:1.

Os tempos trabalhosos dos últimos dias (são os dias que estamos vivendo) mostrará o caráter das pessoas, e conforme II Timóteo 3:1 ao 5 veremos como isto é uma realidade. Vamos analisar nesses versículos aquilo que penso ser o mais importante.
Verso dois do texto citado acima diz porque dos tempos trabalhosos: porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos.
·         Amantes de si mesmos é ter amor próprio irregular e pecaminoso é preferir a sua satisfação em detrimento à edificação da igreja e de outras pessoas.
Verso três: sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons.
  • ·         Sem afeto natural não estão presos pelos laços da natureza e da honestidade. Aquele amor que é natural pelo fato por exemplo de se ter nascido numa família e por isso amasse os pais e os pais aos filhos. Como temos hoje muitos filhos são desobedientes aos pais e os pais negligenciam seus filhos deixando-os aos cuidados do mundo.

Verso quatro:  Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus.

  • ·         Mais amigos dos deleites – são pessoas que buscam os prazeres do mundo, buscam mais as coisas terrenas, estão presos pelos seus bens, dinheiro.

Verso cinco: tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te.
  • ·         Aparência de piedade – aparentam ser cristãos, mas suas atitudes mostram o contrário (Tito 1:16).

Outras características estão no capítulo quatro de II Timóteo versos três ao quatro – Porque virá tempo em que não sofrerão a sã doutrina, mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas.
  • ·         Não sofrerão a sã doutrina, ou seja, não conseguirão ouvir a Palavra de Deus pura e sem fermente, por isso vão ter comichão nos ouvidos e vão amontoar para si pastores, pregadores, doutores que falem aquilo que elas querem ouvir e não o que precisam ouvir. Por isso é que temos muitas pessoas que deixam a igreja e procuram outra que satisfaça o seu coração.
  • ·         Voltando às fábulas – voltam para as coisas as práticas daquilo que aviam deixado, e muitos pregadores, pastores e Apóstolos estão trazendo isso para dentro da igreja como por exemplo: água ungida, sal para libertação e tantas outras fábulas e são muitos os que os seguem.


Todas essas característica acima citado estão dentro da igreja não é no mundo, porque o mundo vive segundo o mundo, mas muitos cristãos estão vivendo segundo o mundo, muitos pregadores pregam a vinda das coisas do mundo para a igreja, como li sobre uma igreja que promoveu um concurso de Fank gospel entre adolescentes, isso não é o mundo, pois sabemos que essa dança excede em licenciosidade, bailão gospel e outras coisas do mundo. Precisamos ser como o Apóstolo Paulo diz a Timóteo em II Timóteo 4:5 – Mas tu sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério.
#renovandooentendimento

2 de mai de 2017

O CAMINHO DE DEUS X O CAMINHO DO HOMEM




Porque os meu pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos, os meus caminhos, diz o Senhor. Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meu pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos. Isaias 55:8,9.

O caminho de Deus x o caminho do homem. Neste texto Deus deixa muito claro que o caminho dEle é muito mais alto assim como os seus pensamentos são muito mais alto. Para mostrar quão distante está um do outro, Deus faz uma comparação entre o céu e terra. A distância entre o céu e a terra é tão grande que cabe neste espaço além das aves, muito linhas aéreas ou seja neste espaço contém muito aviões transitando de lá para cá. Assim entre o caminho de Deus e o caminho do homem muitas coisas estão transitando desde a religiosidade como também muitas filosofia humanista e outras coisas também. Para compreendermos melhor a distância entre o caminho de Deus e o caminho do homem vejamos como é esse caminho do homem.
Chamamos de caminho do homem o agir do homem natural ou o homem sem uma experiência com Deus. O homem natural é incapaz de viver de acordo com o Plano de Deus (sua Palavra Escrito) por conta própria ou pela sua sabedoria. Provérbios 14:12; I Coríntios 2:14.
O homem natural é rebelde, é egocêntrico em relação ao caminho de Deus (Romanos 1:20-32; 3:9-18). Soma a isso a obediência parcial a Deus que é tão inaceitável quanto a rebeldia deliberada (obedecemos a Deus quando nos é conveniente, se não nos agrada não obedecemos) I Samuel 15:22,23; Oséias 6:6; Miquéias 6:6-8.

Para andar no caminho de Deus o homem precisa ser transformado. Precisa entrar pela porta do Reino de Deus, se sujeitar ao governo do Reino de Deus e isso só acontece quando o homem se vê pecador e se aproxima da Obra Redentora de Cristo na cruz. A porta do Reino de Deus compreende três atitudes: Arrependimento, Batismo nas água e Batismo no Espírito Santo. Após fazer isso está apto a andar no caminho de Deus. Somente a Graça, o Poder, A sabedoria e as soluções de Deus são completamente suficientes pra uma vida abundante, Eclesiastes 12:13,14 ; I Coríntios 2:10-14; Efésios 2:8-10. 
#renovandooentendimento

24 de abr de 2017

COMO ANDAR NO CAMINHO DE DEUS



Como cristãos muitas vezes temos dificuldade em andar no caminho de Deus, pois estamos rodeados por muitas vozes dentre elas temos a voz da sociedade em que vivemos, vozes evangélicas além de nossos próprios conceitos em relação a todos os assuntos que concerne a nossa vida. É muito importante também sabermos que Deus nos tem dado recursos abundantes para andarmos no caminho do Senhor. Neste pequeno artigo mencionarei os três mais importantes recursos de Deus para nós andarmos no caminho do Senhor.
Primeiro Recurso – A Bíblia – A Palavra de Deus é a única autoridade em questão de Fé e conduta, é o padrão legítimos e exclusivo para avaliação de todos os aspectos da vida. A Palavra de Deus dá direção para mudança nos nossos pensamentos, nas nossas palavras e nas nossas ações. Se quisermos andar no caminho do Senhor precisamos tomar uma decisão radical tapando os ouvidos para as outras vozes e firmando-nos na única voz verdadeira a voz da Palavra de Deus. Tentar viver a vida cristã com base em outros conceitos que não seja o da Palavra de Deus é uma tentativa frustrante e desanimadora, pois a vida cristã só pode ser vivida pela Fé e Fé na Palavra de Deus (Salmo 19:7-11; Provérbios 30:5,6).
Segundo Recurso – O Espírito Santo – é somente pelo poder do Espírito Santo que somos capazes de viver uma vida abundante. Sem o Espírito Santo não há vida espiritual, não conseguimos praticar a Palavra de Deus. Se tentarmos com os nossos esforços, são tentativas vãs, cansativas e acabamos permitindo a incredulidade entrar em nosso coração por não conseguirmos vitória nas nossas dificuldade (João 14:26; 16:7-14; Romanos 8:5-11; I Coríntios 2:9-16).

Terceiro Recurso – Oração – Para uma vida controlada pelo Espírito Santo a oração é essencial. A oração amolece o nosso coração para que o Espírito Santo possa fazer acontecer a mudança de que necessitamos. A oração tira de nosso coração a ansiedade pelas nossas necessidades físicas e espirituais. Devemos orar incessantemente ao Senhor. A oração move o mundo espiritual (Salmo 145:18,19; Efésio 5:18-20; Lucas 18:1; Efésios 6:18; Colossenses 4:2). #RENOVANDOOENTENDIMENTO

13 de abr de 2017

VIVENDO ACIMA DA LEI


Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim ab-rogar, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei sem que tudo seja cumprido. Qualquer, pois que violar um destes menores mandamentos e assim ensinar aos homens será chamado menor no Reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no Reino dos Céus. Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no Reino dos Céus. Mateus 5:17-20

 Neste texto o Senhor Jesus deixa muito claro que ele não veio destruir a lei, ou seja, cancela-la como muitos esperavam, mas, afirma que veio cumprir. Isso ele reafirma no verso 18, quando diz que nem um jota ou til se omitirá da lei sem que tudo seja cumprido. A justiça de Deus que estava na lei tinha de ser cumprida, nada poderia ser violado nem mesmo o menor dos mandamentos e se alguém assim o fizesse e o ensinasse seria considerado menor no Reino de Deus e aquele que o cumprisse e ensinasse seria chamado grande no Reino de Deus. Jesus estava mostrando que os fariseus estavam entre os que seriam chamados menores no reino e isso vemos no verso 20 quando ele alerta os discípulos de excederem a justiça do fariseu. Jesus veio para cumprir a lei no sentido de estabelecer, de esclarecer o verdadeiro intuito e propósito da lei, cumprindo a lei ele estava mostrando o espírito da lei. No verso 20 Jesus enfaticamente roga aos discípulos para que a justiça deles tinha de exceder o justiça dos Fariseus e dos Escribas senão não entrariam no Reino dos céus. Qual era a justiça dos fariseus e escribas? Eles eram religiosos, legalistas, cumpridores dos detalhes da lei, mas o seu coração estava longe da lei, viviam exteriormente essa lei. Jesus está condenando a justiça dos fariseus e escribas porque ele obedeciam a letra da lei e a desobedeciam no espírito o significado da lei. Eles ficavam orgulhosos do que faziam na religião e acreditavam que isso os tornaria justos. O desafio que Jesus nos dá é muito grande! Para vivermos acima da religiosidade, acima do que fazemos na religião. Para vivermos como Jesus nos pede é necessário uma transformação interior. Essa transformação só pode ser realizada pelo Espírito Santo em nós. A Justiça pela qual devamos viver é a justiça que nos foi imputada através do Obra de Cristo no Gólgota. “Mas, agora, se manifestou, sem a lei, a justiça de Deus, tendo o testemunho da lei e dos Profetas, isto é, a justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo para todos e sobre todos os que creem; porque não há diferença. Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus, ...” Romanos 3:21-24. Essa é a justiça sob a qual devemos viver como filhos do Reino dos céus. Qualquer outra justiça que anule essa justiça é condenada pela Palavra de Deus. Que possamos viver dia a dia debaixo dessa justiça, que Jesus seja a nossa justiça.#RENOVANDOOENTENDIMENTO

3 de abr de 2017

AUTORIDADE ESPIRITUAL


Toda alma esteja sujeita às autoridades superiores, porque não há autoridade que não venha de Deus; e a autoridade que há foram ordenadas por Deus. Por isso, quem resiste à autoridade resiste à ordenação de Deus, e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação. Romanos 13:1,2.
          

            Autoridade Espiritual é uma das verdades fundamentais ensinadas pelo Espirito Santo nas Escrituras Sagradas. A autoridade é algo tremendo no universo. Deus é a autoridade máxima. Como cristãos precisamos ter entendimento com clareza a questão da autoridade espiritual e também submissão e obediência.
            Autoridade (grego – exousia) que significa originador, poder legitimo e real; quanto a Deus – seu domínio inalterável, universal e eterno.
            Deus age a partir de seu trono (Salmo 9:7; 11:4; 45:6) e o seu trono está estabelecido na sua autoridade. A autoridade divina representa o próprio Deus, enquanto o seu poder apenas pelos seus atos.
            João Batista, Jesus e os Apóstolos pregaram dizendo: Arrependei-vos, porque é chegado o Reino de Deus (Mateus 3:2; 4:17; 10:7). O Evangelho visa colocar os homens debaixo da autoridade do Senhor (Mateus 11:28,29). Jesus nos chama para irmos a Ele e tomarmos o seu jugo. Quando nos arrependemos e nos convertemos, mudamos de Reino (Colossenses 1:13). Antes éramos desobedientes, filhos da ira (Efésios 1:2,3), mas agora somos filhos da obediência (I Pedro 1:14).
            Jesus aprendeu a obediência. Jesus desejava fazer a vontade do Pai, porém cumprir isso requeria obediência. (Filipenses 2:5-7) Aqui Jesus humilha-se duas vezes; a primeira vez quando esvaziou-se de sua divindade; a segunda vez quando humilhou-se em sua humanidade, tornou-se obediente até a morte.
            Após a obediência de Jesus ao Pai que é autoridade máxima, Ele foi exaltado e recompensado pelo Pai (Filipenses 2:8-11). O Senhor Jesus é o princípio da obediência (João 5:19; 8:28,29). O sofrimento exigiu obediência do Senhor, observamos que Ele não trouxe a obediência a esta terra, Ele a aprendeu durante o seu sofrimento. Quando encontramos o sofrimento, aprendemos a obediência (Mateus 5:11,12; I Pedro 2:18-21). O sofrimento visa amolecer o nosso coração e produzir obediência verdadeira (Tiago 1:2-4). Enquanto não aprendemos a obediência, o sofrimento não nos abandonará. Só os obedientes são úteis a Deus.
            Deus é a fonte de toda autoridade no universo (2 Pedro 13,14,17). Onde encontramos a autoridade, encontramos Deus. Em qualquer situação, temos duas escolhas: sujeição ou oposição. Resistência aos mandamentos de jesus é sinal de rebeldia. Não é fácil submeter, mas quando resistimos nos submeter a esses mandamentos contemplamos o crescimento do rebelde dentro de nós (Romanos 13:2).
Os rebeldes são excluídos do reino de Deus. Quando sentimos a rebeldia devemos destruí-la através da sujeição. Para nos submeter e obedecer a autoridade, não importa como essa autoridade se é boa ou não. Quando encontramos uma autoridade, Deus está nos dando a oportunidade para destruir essa raiz de rebeldia enterrada no espírito humano.
            Nossa atitude para com aqueles a quem Deus delega autoridade sobre nós é a expressão externa e visível de nossa atitude para com Deus. Encontramos autoridade em três níveis:
  • ·         No Mundo – Romanos 13:1, Judas 8;
  • ·         Na Família – 1 Coríntios 11:3; Efésios 5:22-24; Efésios 6:1-3;
  • ·         Na Igreja – 1 Tessalonicenses 5:12-13; 1 Timóteo 5:17; Hebreus 13:7,17.
#renovandooentendimento

14 de mar de 2017

BABILÔNIA – A MÃE DAS PROSTITUIÇÕES E ABOMINAÇÕES DA TERRA

“E, na sua testa, estava escrito o nome: Mistério, A Grande Babilônia, a Mãe das Prostituições e Abominações da terra”. Apocalipse 17:5.

Babilônia, a Mães das prostituições e abominações da terra, naquele tempo era costume das prostitutas despudoradas, pendurarem placas com seus nomes, para que todos soubessem o que elas eram. Ela recebe o nome do seu local de residência. Mas, para que não a tomemos como sendo da antiga Babilônia literalmente assim chamada, somos informados de que há um mistério no nome; é outra grande cidade semelhante à antiga Babilônia. Ela é denominada por sua maneira e prática infames; não só uma prostituta, mas mãe de prostitutas, treinando-as para a idolatria e toda sorte de lascívia e perversidade1.
Para que possamos compreender melhor essa Babilônia, precisamos entender um pouco sobre a antiga Babilônia. Essa antiga Babilônia teve origem na Babel do antigo testamento, quando Deus confundiu as línguas e porque Deus confundiu? A base de construção da Torre de Babel foi ter um nome (Gênesis 11:4). Mais tarde com o rei Hamurabi, Babilônia desenvolveu e dominou todo o território em que estava e passou a ser uma capital política, cultural, religiosa e econômica. Em seu código de Leis, Hamurabi afirma seu panteão da religião Babilônica. É interessante notar que a Babilônia tinha uma característica muito importante ela absorvia em sua vida econômica, política, cultural e religiosa o que as cidades dominadas tinham de melhor. O nome Babilônia tinha agora assumido um novo significado. Enquanto Babel significava confusão, Babilônia significa “Porta de Deus” e promovia a unificação de todo o território. Uma outra característica de Babilônia era que o rei era o sumo sacerdote do grande deus oficial2.
Como supremos sacerdotes da religião babilônica, eles recebiam o título de “Pontífice Máximo” (Pontifex Maximus). Com a ascensão de Ciro ao trono da Babilônia, os sacerdotes babilônicos fugiram para Pérgamo, onde continuaram a exercer seu reino como reis e sacerdotes. No ano 133 a.C., Attalus III, o último rei babilônico a exercer seu governo em Pérgamo, entregou seus domínios aos romanos, de forma que o reino de Pérgamo fundiu-se com o Império Romano. Com isso, o reino e sacerdócio foi trasladado de Pérgamo para Roma; dentre os romanos, Júlio Cesar foi o primeiro a assumir o duplo ofício de sacerdote e rei, cerca do ano 45 a.C. “Pontífice Máximo”, originalmente um sacerdote na religião babilônica anterior ao cristianismo, passou a ser um ofício religioso na República Romana e, gradualmente, adquiriu atribuições políticas até que, começando com Augusto, foi adicionado à função do imperador. Hoje em dia, “Pontífice Máximo” é o título do Papa da igreja católica Romana.
63 a.C. - Gaio Júlio César
 44 a.C. – Marcos Emilio Lepido
12 a.C. – César Augusto
12 a.C. a 382 d.C. – usado pelos imperadores
 382 d.C. até os dias de hoje – usado pelos papas
De fato, os papas somente passaram a empregar o título de “Pontífice Máximo” depois que o império foi dividido em dois, ficando o Império Romano Ocidental sob a regência do jovem imperador Graciano, o piedoso (cerca do ano 360 d.C.). Graciano não considerou justo ser chamado de “Pontífice Máximo”, pois não era um sacerdote cristão, então outorgou o título ao Papa Damásio I, 380 d.C., o qual tornou-se o primeiro papa na história a receber o título de “Pontífice Máximo”3.
Olhando para esse quadro podemos concluir que Babilônia além de ser uma cidade, refere-se também a um sistema Religioso, onde existe um líder maior ou Clero e abaixo estão os leigos (membros desse sistema). A Igreja Católica Apostólica Romana tem se colocado como a Grande Babilônia, já que influência o mundo com seu sistema religioso e político, pois vê-se o Papa envolvido em tentar manter a paz e repreendendo governos tudo com o mesmo objetivo da Babilônia que foi o de promover a unificação e sabemos que o Papa e líderes de outras religiões estão envolvido com essa unificação. A Igreja Católica tem feito um trabalho muito forte em tentar trazer as Igrejas Evangélicas para uma conversa tentando exatamente essa unificação. No mesmo espírito de hierarquias religiosas e separando o clero do leigo estão também as Igreja Evangélicas, engessadas com seus sistemas que são como que uma cópia da igreja católica. No meio evangélico não tem Papa, mas temos Apóstolos, Bispos e o mais comum Pastor Presidente. Segundo o versículo de Apocalipse 17:5 – A Igreja Católica Romana é a Babilônia e as Igrejas Evangélicas as suas filhas, pois estão caminhando nas pegadas de sua mãe. Praticando abominações e se prostituindo com seu próprio sistema e abandonando o Senhor Jesus Cristo, pois coloca em primeiro lugar o estatuto da Igreja e seus programas acima da Palavra do Senhor. Sem contar os óleos ungidos que são vendidos, e tantas outras artimanhas que são praticadas para extorquir dos seus membros o maior valor possível, poderíamos falar mais sobre a discoteca gospel, concurso de funk e tantas outras coisas. Muitas vezes condena-se a Igreja Católica pelas “indulgências” que foram cobradas e o que a Igreja Evangélica está fazendo não é nada diferente disso só com outros nomes. O apelo que Deus faz a seus filhos é imperioso nos dias de hoje.
 “E outra voz do céu, que dizia” Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados e para que não incorras nas suas pragas.” Apocalipse 18:4.
#renovandooentendimento

Bibliografia
1.      Bíblia de Estudos Mattew Henry (comentário).
2.      Dicionário das Religiões – John R. Himells.

3.      Livro de Apocalipse – Obra Cristã A Maturidade – Ir. Christian Chen.

PARCEIROS

Www.Goocrente.Com - Acesse o Maior Pesquisador Cristão da Atualidade! Milhares de Sites Evangélicos, Estudos Bíblicos, Variedades, Cifras, Pastores, Igrejas, Eventos, Portais, Revistas, Rádios e muito mais.


Busca na web
Aonde.com - outros serviços: Download, Jogos e BuscaUrl
Cadecristo.com.br - Portal GOSPEL do Brasil - Pesquisa e busca 
evangélica - Jesus Cristo através da Internet

REDE SOCIAIS

União de Blogueiros Evangélicos
Uêba - Os Melhores Links

ARTIGOS E TEXTOS

O ARTIGO - Publique seus artigos de graça para milhares de leitores!

PROPAGANDA

 Carteiro Xpress
 Envie e-mails com
 facilidade e segurança.

  © Blogger templates Inspiration by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP