Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

BEM VINDOS!

É imensa satisfação receber sua visita a este blog. Meu desejo é que os artigos postado possam edificar, consolar sua vida. Caso algum artigo lhe seja útil e queira usar fique a vontade para isso, pois tudo é feito para Honra e Glória do Senhor Jesus Cristo. Um pedido quero fazer, se você foi edificado, consolado indique este blog ao seu círculo de relacionamento. Minha oração ao Pai do Senhor Jesus Cristo é que Ele lhe abençoe imensamente, com todo sorte de Bençãos espirituais nos lugares celestiais.

Para Meditar

Em seu Emaill!

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

TRANSLATE

Pesquisar este blog

18 de nov de 2009

RESPOSTA


Pedi a Deus por força para que pudesse alcançar,


Enfraquecido fui, para que pudesse aprender a obedecer humildemente.

Pedi por saúde, para que pudesse fazer coisas maiores,

Adoentado fui, para que pudesse fazer coisas melhores.

Pedi por riquezas, para que pudesse ser feliz,

Empobrecido fui, para que pudesse ser sábio.

Pedi poder, para que pudesse ter a aprovação dos homens,

Enfraquecido fui, para que pudesse necessitar de Deus.

Pedi por todas as coisas, para que pudesse desfrutar a vida,

Vida foi-me dada, para que pudesse desfrutar todas as coisas.

Não alcancei nada do que pedi, mas tudo que esperava.

Apesar de mim mesmo, minhas orações não verbalizadas foram respondidas.

Estou entre os homens mais ricamente abençoados.




Autor Desconhecido




26 de out de 2009

HALLOWEEN

A origem do halloween remonta às tradições dos povos que habitaram a Gália e as ilhas da Grã-Bretanha entre os anos 600 a.C. e 800 d.C., embora com marcadas diferenças em relação às atuais abóboras ou da famosa frase "Gostosuras ou travessuras", exportada pelos Estados Unidos, que popularizaram a comemoração. Originalmente, o halloween não tinha relação com bruxas. Era um festival do calendário celta da Irlanda, o festival de Samhain, celebrado entre 30 de outubro e 2 de novembro e marcava o fim do verão (samhain significa literalmente "fim do verão" ).A celebração do Halloween tem duas origens que no transcurso da História foram se misturando:


Origem Pagã

A origem pagã tem a ver com a celebração celta chamada Samhain, que tinha como objetivo dar culto aos mortos. A invasão das Ilhas Britânicas pelos Romanos (46 A.C.) acabou mesclando a cultura latina com a celta, sendo que esta última acabou minguando com o tempo. Em fins do século II, com a evangelização desses territórios, a religião dos Celtas, chamada druidismo, já tinha desaparecido na maioria das comunidades. Pouco sabemos sobre a religião dos druidas, pois não se escreveu nada sobre ela: tudo era transmitido oralmente de geração para geração. Sabe-se que as festividades do Samhain eram celebradas muito possivelmente entre os dias 5 e 7 de novembro (a meio caminho entre o equinócio de verão e o solstício de inverno). Eram precedidas por uma série de festejos que duravam uma semana, e davam início ao ano novo celta. A “festa dos mortos” era uma das suas datas mais importantes, pois celebrava o que para nós seriam “o céu e a terra” (conceitos que só chegaram com o cristianismo). Para os celtas, o lugar dos mortos era um lugar de felicidade perfeita, onde não haveria fome nem dor. A festa era celebrava com ritos presididos pelos sacerdotes druidas, que atuavam como “médiuns” entre as pessoas e os seus antepassados. Dizia-se também que os espíritos dos mortos voltavam nessa data para visitar seus antigos lares e guiar os seus familiares rumo ao outro mundo.

Origem Cristã

Desde o século IV a Igreja da Síria consagrava um dia para festejar “Todos os Mártires”. Três séculos mais tarde o Papa Bonifácio IV († 615) transformou um templo romano dedicado a todos os deuses (panteão) num templo cristão e o dedicou a “Todos os Santos”, a todos os que nos precederam na fé. A festa em honra de Todos os Santos, inicialmente era celebrada no dia 13 de maio, mas o Papa Gregório III(† 741) mudou a data para 1º de novembro, que era o dia da dedicação da capela de Todos os Santos na Basílica de São Pedro, em Roma. Mais tarde, no ano de 840, o Papa Gregório IV ordenou que a festa de Todos os Santos fosse celebrada universalmente. Como festa grande, esta também ganhou a sua celebração vespertina ou vigília, que prepara a festa no dia anterior (31 de outubro). Na tradução para o inglês, essa vigília era chamada All Hallow’s Eve (Vigília de Todos os Santos), passando depois pelas formas All Hallowed Eve e “All Hallow Een” até chegar à palavra atual “Halloween”.

Fonte: Wikipédia

Analisando isto, podemos dizer que participar do Holloween é voltar para o paganismo, cultuar os mortos, adorar bruxas, pois o celtas vivam o ocultismo em seus rituais. Não vemos a possíbilidade de alguém que se diz Critão Autentico participar desta festa. A Festa do Halloween é uma forma de sacrifício ainda que pareça uma simples festa tradicional da língua inglesa, mesmo assim não deixa de ser um sacrifício. Um cristão autentico não tem participação nisso, porque se participarmos estaremos nos fazendo cumplice dos pecados de quem os pratica, conforme I Corintios 10:18 e 20 – Observai o povo de Israel: por acaso os que comem dos sacrifícios não são participantes do altar?...Não antes digo que as coisas que sacrificam, sacrificam-nas a demônios, e não a Deus. E não quero que tenhais comunhão com os demônios; I Timóteo 5:22 - ..... nem participes dos pecados dos outros; conserva-te puro.

Com isto desejo avivar o senso crítico em cada um que lê esse texto, para que possamos evitar situações difícies amanhã.

23 de out de 2009

É ASSIM?

São dezoito horas, término do trabalho, destino o lar. Certa pessoa sai em direção ao lar. Durante o trajeto seus pensamentos são levados a cogitar sobre o que ocorrerá quando chegar a casa. Avivam em sua mente as outras chegadas em casa, à esposa o recebe com reclamações, brigas, discussões, os filhos berrando,brigando entre si. Para fugir deste conflito familiar procura outra coisa a fazer. Na sua caminhada passa em frente a um bar, pára, olha vê alguns amigos e entra. Nesse esconderijo da frustração junto a amigos, companheiros que dividem os mesmos conflitos familiares. Algumas horas nesse convívio regado a muita cerveja e caipirinha encontra forças e coragem para poder chegar ao lar. Agora animado pelo álcool e as conversas dos companheiros, chega, a esposa o recebe da pior maneira possível. O estado dessa pessoa é lastimável provocando em sua companheira mais hostilidade, descontentamento, as brigas são inevitáveis causando agressões e criando nos filhos instabilidade, insegurança. O pai por causa do álcool agride a mãe e em algumas vezes ela reage, mas acaba por pegar os filhos pelas mãos e sair às pressas de casa até que possa voltar em segurança.


Outro dia, outro fim de trabalho, outra ida ao bar, outra chegada em casa e muitos outros conflitos, isso se torna em um circulo vicioso. O dia a dia nessa situação vai acumulando sobre todos insegurança cada vez maior.

Esta é a vida de muitos homens e mulheres. Eles chamam a isso que vivem de família, mas, na verdade não existe nesse lar família, nem lar. Existem sim algumas pessoas que vivem juntas aos trancos e barrancos, deixando em si mesmas marcas pelo resto da vida, filhos que quando casarem agirão da mesma forma que o pai ou mãe agiam, apesar de detestarem as atividades dos pais. Esse modo de viver e de relacionar-se no lar é muitas vezes a herança que se deixa para os filhos.

Será que existe alternativa ou é assim mesmo que devemos viver? Por causa dos lares estarem destruídos e em conseqüência a família estraçalhada, as meninas desses lares buscam fora de casa do amor que gostariam de ter do pai e da mãe, relacionando-se com rapazes ou com homens casados trazendo como conseqüência disso muitas adolescentes grávidas e um problema social.

Esse tipo de vida familiar nunca foi da vontade de Deus. A família no estado que vemos hoje é fruto da natureza pecaminosa que está no ser humano. No princípio Deus criou o homem e mulher, deixou mandamento de multiplicar e encher a terra e viu que isto era bom (Gênesis 1:27 a 31). Quando Deus instituiu a família era algo bom, hoje será que podemos dizer isso de nossa família?

No capítulo 3 de Gênesis encontramos a entrada do pecado na família humana, quando homem e mulher desobedecem a Deus, logo a seguir encontramos a primeira discussão do casal (verso 12) quando o homem joga sobre a mulher a culpa pela desobediência. Assim são hoje muitos lares, o marido jogando sobre a mulher a culpa por ele ter de ir a bares, jogos. A mulher jogando sobre o marido a culpa dos desentendimentos por ele nunca estar em casa, assim o dois brigados desabam sobre os filhos com violência através de atos ou por palavras destrutivas. A única maneira para resolver esta situação é buscar em Deus que criou a família, Ele é o único que tem a solução. Para podermos nos achegar a Deus precisamos ir através de Jesus Cristo, pois somente Ele pode levar-nos a Deus, como diz no Evangelho de João capítulo 14:6 – “Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vem ao Pai, senão por mim”.

22 de out de 2009

OLHOS QUE OBSERVAM

Olhando pela janela começo a observar os transeuntes que passam para lá e para cá, ouço conversas, muitos ruídos, muitas vozes falando muitas coisas bonitas aos ouvidos, mas nada prático, nada que se possa efetivamente colocar-se em prática. Vejo as notícias expondo como a humanidade está bem por um lado e por outro quantas doenças incuráveis que milhares de pessoas infectadas e soladas em meio a multidões. Quantas mortes, quantas famílias destruídas e o quanto de jovens envolvidos com drogas e prostituição.


Vejo como está este mundo velho e falando como moço, como alguém que tem ainda muitos anos de vida. Todos estes fatos mostram como se deixou e está se deixando a moral, os ensinos de nossos pais quanto a uma ética com bases em conceitos morais, para aventurar em um padrão totalmente libertino e imoral, vivendo assim para a total destruição do gênero humano. Ouço homens colocados em posição de autoridade mundial, falando de uma tal globalização, dizendo: vivemos em uma aldeia global, aldeia esta que leva a uma uniformidade de pensamentos e atitudes, fazendo do ser humano que vive nesta aldeia um fantoche, impondo sobre os aldeões globais, pensamento e assim impedindo-os de pensarem por si próprio. Hoje a humanidade quase totalmente está vivendo como diz um ditado popular – “Maira vai com as outras”, pois falam daquilo que outros falaram sem analisar e avaliar para ver se realmente é assim ou não. Vejo também o mundo religioso não estar muito longe disto, a religião leva as pessoas a viverem com mascaras, muitas famílias que vão a “Igreja” estavam brigando e quando chegam mudam, se transformam em outras pessoas esta mudança dura somente alguns minutos, o tempo em que estão naquele lugar. A própria religião esta globalizada, vejo falarem de Ecumenismo, algo um tanto esquisito para estar nos lábios de Cristãos.

Fala-se sobre isto, mas na realidade não se sabe o que isto envolve. Volto-me um instante para um velho livro, um tanto empoeirados pelo tempo, estas poeiras não são simples poeiras, e começo a lê-lo, algumas palavras escritas me chama a atenção, dizem: “Porém daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, mas unicamente meu Pai. E, como foi nos dias de Noé, assim será também na vinda do Filho do Homem. Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio comiam, bebiam, casavam e se davam em casamento, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do Homem” (Mateus 24:36-39).

Após esta leitura somada ao que vejo pela janela, meu coração derrete-se, começo a ponderar o estado do homem, que a cada dia distancia-se mais de Deus, do Criador de todas as coisas, pior ainda quando esses homens criam rituais religiosos e datas comemorativas, com a função de amenizar suas consciências em vista do seu afastamento do criador. Deixo a janela e agora em um recanto da casa fico triste e impossibilitado diante de tão desastrosa situação da humanidade. O que fazer? O que falar? Olho para cima e encontro a resposta, voltar-se para Deus através do seu Filho Jesus Cristo em oração e clamor para que a humanidade deixe de lado o seu egocentrismo e volte-se para as suas raízes em Deus.


14 de out de 2009

ESPINHOSO

Certa vez, as árvores foram ungir um rei para si. E disseram à Oliveira: Tu reinarás sobre nós. Mas a Oliveira lhes respondeu: Deveria eu renunciar ao meu azeite, que os deuses e os homens apreciam em mim para dominar sobre as árvores? Em seguida, as árvores disseram à figueira: Vem e reino sobre nós. Mas a figueira lhes respondeu: Deveria eu renunciar à minha doçura e ao meu bom fruto para dominar sobre as árvores? Depois as árvores disseram à videira: Vem e reina sobe nós. Mas a videira lhes respondeu: Deveria eu renunciar ao meu vinho, que alegra os deuses e os homens, para dominar sobre as árvores? Finalmente todas as árvores disseram ao espinheiro: Vem e reino sobre nós. E o espinheiro respondeu às árvores: Se realmente querei ungir-me como vosso rei, vinde refugiar-vos debaixo da minha sombra; do contrário, saia fogo do espinheiro e devore os cedros do Líbano. JUIZES 9:7-15.


Se atentarmos apenas para esse apólogo de Jotão, podemos entender o seguinte sentido, o qual é o mais comentado: Quando os bons se calam o mal prevalece. Mas a algo aqui mais forte do que somente isso. Não é esse o relato que encontramos no verso 1 do capítulo 9, ali vemos Abimeleque pedindo para ser rei; o espinheiro refere-se à Abimeleque. Onde está este relato? Para entendermos melhor precisamos conhecer toda a história envolvida, mas para não sermos muito longo vamos direto ao ponto. No capítulo 8 de Juizes nos versos 22, 23 – Então os homens de Israel disseram a Gideão: Reina sobre nós, tu, teu filho e o filho de teu filho, pois nos livraste das mãos dos midianitas. Porém Gideão lhes respondeu: Nem eu nem meu filho reinaremos sobre vós, mas o Senhor reinará sobre vós. O assunto principal aqui não é o fato de reinar e sim o dominar, pois naturalmente as árvores não têm rei, nem comandante e muito menos líder essa era a visão de Deus e também de Gideão. Abimeleque (espinheiro) para poder dominar ele teve que quebrar alguns mandamentos de Deus, sempre que o homem deseja o poder ele tem que partir para coisas obscuras, porque o desejo de poder cega. Nos versos 1,2 do capítulo 9 uma ambição que nasceu de inveja, pois Abimeleque era filho de Gideão com sua concubina, meio irmão de outros filhos (70) de Gideão; no verso 4 entrou idolatria, quando ele recebe prata tirada do templo de Baal-Berite; no verso 5 há uma grande chacina entra o homicídio; no verso 6 a desonestidade impera quando ele é proclamado rei, pois quem deveria reinar seriam os filhos de Gideão.

O que leva uma pessoa a querer dominar e o que leva a outro não querer o domínio?

As árvores que não quiseram o domínio tornam-se para nós um exemplo, vejamos por que:

A Oliveira, seu fruto - azeitonas, fonte de comida, luz, higiene e cura.

A Figueira, seu fruto – figo – simboliza a abundância, a ciência, representa o povo de Israel com suas revelações sobre o messias.

Videira, seu fruto – Uva – faz-se vinho – símbolo da alegria (Salmo 128:3), louvor, glorificação e graça.

Respondendo a pergunta feita acima – Elas não almejam o domínio, porque tem em si mesmo um atrativo e não precisam usar da força para que aja uma aproximação de si.

Espinheiro, seu fruto – espinhos – serve para afastar a todos e a tudo, representa tudo que é da natureza humana. É o que é de ruim e que não dá fruto algum. Para que aja uma obediência ele impõe condições para seu governo e se não houver ele queimaria os cedros do Líbano, que presunção do espinheiro. Para estabelecer domínio ele usa da mentira, pois o espinheiro não tem sobra, de maledicência, de preconceito, de falta de amor, etc. O espinheiro quando se estabelece é como o fogo que destrói o cedro.

O Cedro do Líbano são as árvores no apólogo de Jotão que representam o povo. O cedro do Líbano é a obra do Senhor na vida dos homens. É símbolo de longevidade, dignidade e poder. Pode atingir até 50 metros de altura e vivem centenas de anos, sua madeira é avermelhada, não tem nó e é perfumada.

Platão disse: Quem tem força tem direito.

Três séculos depois Sêneca disse: Quem tem força impõe seu direito.

É isso que vemos neste apólogo, o uso da força para impor direito.

Quão terrível é isso quando um espinheiro domina. Esse tipo de pessoa esta descrito em Habacuque 1:11.

Respondendo a pergunta feita no início deste estudo; as pessoas precisam dominar porque lhes falta atrativos em si, e esta falta é suprida pela força, pela opressão.

Em vista disso que nós sejamos qualquer outra árvore, menos espinheiro. Você marido lidera sua esposa e filhos e não os domine. Você líder na Igreja lidere e não domine. Tenha em você mesmo atrativos para que aqueles que estão sobre sua liderança se sujeitem pelo prazer de estar próximo a ti. Como fazer isso? Busque Graça no Senhor, comece sendo humilde. A humildade em si já é um atrativo, pois aqueles que são liderados mesmo que venhamos a errar eles saberão que você ouvira e que se corrigirá para não errar mais.

A Palavra do Senhor nos diz: Aquele que se humilha será exaltado e, aquele que se exalta será humilhado – Isaias 2:11,17.


9 de out de 2009

Destino Final

Check out this SlideShare Presentation:

ANAEOSE NOYS

A nossa mente é um campo, um campo onde diariamente e a cada segundo são travadas batalhas imensas. É em nossa mente que estão todas as informações e é baseada nessas informações que nossa vida é dirigida. Precisamos dar atenção a nossa mente.




Romanos 12.2; Efésio 4.23



A Palavra de Deus nos incentiva, exorta a renovarmos a nossa mente ou nossos pensamentos. Isso porque durante a nossa vida vamos construindo idéias, pensamentos, opiniões, que muitas vezes e na sua grande maioria serve para nós como embaraços para o nosso crescimento espiritual (I Pedro 1:18; Colossenses 2:8).

Os ensinos recebidos criam em nossa mente fortalezas, essas fortalezas são estruturas mentais ou padrões mentais inculcados em nós que precisam ser derrubados para avançarmos adiante II Corintios 10:4,5. Sabemos que em nossa caminhada existem três momentos, o passado, o presente e o futuro. Muitas vezes estamos vivendo o presente presos aos padrões de nosso passado. O passado é imutável, mas podemos modificar os seus efeitos no presente. O apostolo Paulo nos incentiva a olhar para o hoje, para atingir o objetivo principal (Filipenses3:13-16). Para isso é necessário uma renovação da nossa mente.

O presente determina o nosso futuro (Provérbios 23:7), assim como todas as situações tem três lados : o negativo, o positivo e o terceiro lado que corresponde a atitude do momento ou seja o que preciso aprender com isso. Geralmente ficamos focados na situação e principalmente no lado negativo, pensamos também no lado positivo, mas que lição tenho a aprender raramente nos vem a mente.

Quando a Palavra nos admoesta a renovar nossa mente ou nosso modo de pensar, ela deseja isso: Filipenses 4:8.

Agora nos vemos preso as nossas estruturas mentais, para quebrar essas estruturas precisamos praticar e perseverar em alguns princípios da Palavra de Deus:



1. Pare de Murmurar ou lamentar (I Corintios 10: 9,10) a murmuração ou lamentação traz sobre nós o destruidor, que vem destruir nossa paz, nossa alegria trazendo sobre nós doenças (depressão), ampliando as dificuldades e tantas outras coisas.

2. Pare de olhar para você mesmo (Hebreus 12:2; Filipenses 4:13);

3. Pare de se desvalorizar (Mateus 19:19; 22:39) confie no Senhor, naquilo que Ele pode fazer através de você, você é importante para Deus.

4. Vigie sua mente ou pensamentos (Mateus 26:41; I Corintios 16:13; I Pedro 5:8; Filipenses 4:8) esteja atento ao que você está pensando ou vindo ao seu pensamento, pois temos um inimigo e ele deseja que vivamos como galinhas, com nosso olhares para baixo.



Estamos em Cristo e em Cristo somos novas criaturas (II Corintios 5:17; I Corintios 2:16) não precisamos mais viver debaixo de nossas estruturas mentais velhas, aprendidas durante o nosso crescimento natural. O Senhor lhes deu vida e vida em abundância, viva esta Vida.



24 de set de 2009

RELIGIÃO: Ordenção Divina ou Invenção Humna

Após o advento de Cristo e instauração por Cristo da Igreja, o que hoje conhecemos como cristianismo se tornou uma religião muito depois de Cristo e os Apóstolos, Foi durante o que a história da Igreja conta que os ensinos de Cristo se tornaram em conceitos e ritos religiosos. Será que essa era a intenção de Jesus, quando este veio ano mundo e começou a ensinar?
Se não, porque os ensinos de Jesus se tornaram uma religião?
Afinal, o que significa religião?
Até hoje muitos estudiosos tentaram criar uma definição para a palavra religião, mas até o momento não uma definição que seja aceita universalmente. A definição que mais tem sido divulgada dentre tantas definições, está ligada a etimologia da palavra religião, ou seja, segundo alguns escritores, vem do latim “religio” usado na vulgata, que significa prestar culto a uma divindade, ligar novamente ou simplesmente religar. Segundo a “Wikipédia: religião deriva da palavra religio, mas desconhece-se ao certo que relações estabelece religo com outros vocábulos. Aparentemente o mundo latino anterior ao nascimento do cristianismo, religio referia-se a um estilo de comportamento marcado pela rigidez e pela precisão”. Por este motivo a palavra religioso é usada no sentido de que uma coisa seja repetida sistematicamente ou por sua pontualidade, como por exemplo: “Religiosamente ele vem todos os dias neste horário” e outras frases semelhantes a esta onde o religo latino aparece.
Um conceito aceito e difundido entre os pensadores é que a religião demonstra ter surgido do desejo de encontrar um significado e propósitos definitivos para a vida, geralmente centrado na crença e ritual a um ser (ou seres) sobrenatural.

O Surgimento da Religião

Segundo o que temos visto sobre o significado de religião, sobressai de que o grande sentido da religião é o homem tentando chegar a Deus através de seu culto, conjunto de rituais e códigos morais.
Quando o homem começou a fazer isso?
Para sabermos disso precisamos olhar para a Bíblia (que é o livro mais confiável até o presente momento e o será eternamente, o mais vendido, o mais lido, o de maior tiragem). Até o capitulo 10 de Gênesis ( o livro dos começos) notamos que não havia uma forma ou rituais claros, definidos do homem chegando a Deus, pois está relatado que era Deus chegando ao homem, mesmo quando Adão pecou no jardim do Éden, foi Deus quem veio em direção ao homem, o homem por outro lado se escondeu de Deus. Mas quando chegamos ao capitulo 11:1-9- temos o homem criando algo para chegar a Deus que foi a torre de Babel. Essa torre segundo relatos bíblicos, sua localização teria sido na planície entre o rio Tigre e o Eufrates, atual Iraque, uma região estrategicamente boa por ser muito fértil. Foi neste lugar que foi fundado a cidade de Babilônia, não podemos entender Babel sem a cidade Babilônia. Babilônica vem do acadiana Bâb-ilu, que significa “Portão de Deus”. Isto mostra corretamente o propósito religioso das grandes torres-templo. Os zigurates eram torres-templo com escadas eram vistos como portões para os deuses descerem a terra, escadas literais para o céu.
Vamos nos prender ao texto do Gênesis.
Características da Torre de Babel:
A primeira coisa que aparece claramente é a criação de alguma coisa para construir algo; criaram o tijolo para ficar no lugar de pedra, a pedra é algo da natureza simbolizando o material vindo da parte de Deus, o tijolo era feito de barro, mostrando os artifícios e independência de Deus, edificaram uma cidade com uma torre com os objetivos:
Tocar o céu – chegar a Deus era a intenção. Nós vamos a Deus, somos capazes de fazermos algo para chegar a Deus, não precisamos que ele venha nós.
Tornar o nome célebre – com essa atitude torna o nome conhecido, amado, honrado, famoso, etc. Isso não soa familiar? Não vemos e ouvimos crentes insistindo pelo nome da denominação? Não é isso que vemos nos testemunhos dados pela televisão “Quando conheci a Igreja Tal, minha vida mudou”, não ouvimos “pastores, apóstolos, bispos” dizerem “Venha para nossa Igreja, pois aqui acontece mais milagres que lá (esse lá é desfazendo uma outra que faz a mesma coisa)”. Será que alguém já observou que as construções religiosas (Igreja) existe uma torre?

A Ação de Deus

Tornar o nome célebre e edificar uma torre que toca o céu, sem sombra de dúvida é orgulho, soberba do homem, quando isto acontece sempre gera uma ação da parte de Deus. A ação de Deus foi confundir as línguas. Quando o cristianismo se tornou uma religião ouve também uma ação de Deus, assim como os homens foram dispersos pelo mundo cada com sua língua, assim hoje temos uma infinidade de denominações cristãs espalhadas pela face da terra e cada uma com sua linguagem específica e muitas vezes guerreando umas conta as outras. A partir dessa ação de Deus Babel agora recebe um novo significado: deixa de ser Portão de Deus para ser Confusão. Todas as religiões seja elas cristãs ou não tem sua raiz na Babel. Em Apocalipse 14:8 – “E outro anjo seguiu, dizendo: Caiu, caiu [Babilônia], aquela grande cidade, que a todas as nações deu a beber do vinho da ira da sua prostituição”. Apocalipse 17:5 – “E na sua testa estava escrito o nome: Mistério, a grande [Babilônia], a mãe das prostituições e abominações da terra”.

O Advento de Cristo

Quando Jesus veio ao mundo e ao seu povo encontro uma Babilônia?
Sim. Durante os 400 anos de se diz do silêncio de Deus, os judeus criaram sua torre de Babel. Criaram o sistema religioso judaico – judaísmo que não havia até o aparecimento no cenário bíblico dos Macabeus e a partir daí nasceu o judaísmo. Neste sistema havia:
Sinédrio – era um grupo de estudiosos resposável pela religião, política e economia;
Sinagoga – era o local onde essa religião era expressa;
Fariseu – uma facção do judaísmo;
Saduceu – outra facção do judaísmo, somente para falarmos das mais importantes, havia outras.
Escribas – conhecido como os interpretes da Lei.

Jesus combateu este sistema que era baseado na torah, mas cercado de conceitos humanos com seus rituais próprios. Citarei alguns embates de Jesus com esse religiosos: Mateus 12:1-14; 16:5-12 e a censura grave aos religiosos do capítulo 23.
Este sistema para matar Jesus quebrou alguns princípios por eles instituídos:
- Reuniram-se na casa do sumo sacerdote – as reuniões aconteciam no templo;
- Essa reunião foi a noite – as reuniões deveriam ser durante o dia com exceção em dias de festa e sábado.
Isso mostra que a religião mata, o sistema nos acorrenta, nos escraviza. Todo religioso torna-se um hipócrita, pois fala e não faz, condena, mas vive naquilo que condena.


O que Jesus veio fazer

Jesus não trouxe uma religião, Ele trouxe vida – João 3:16; ¨6:33,63; 10:10; 14:6; 20:31.
Ele veio salvar o homem dos seus pecados e introduzi-lo no relacionamento com Deus Pai assim como Jesus o Filho tinha. Jesus não impôs regras pois muitas vezes disse: João 4:34; 5:19,30.
Por isso a Igreja apresentada por Jesus e pelos apóstolos fala de: corpo, família, mostra relacionamentos e não ritos e dogmas.
A comunhão com Deus não é através de nossos rituais, não é pelo fato de cumprirmos ou não os mandamentos, mas é por causa de Cristo.É Ele o fator principal de termos comunhão com Deus, não são rituais, normas que nos dá isso, é Cristo. O nosso andar com Deus é vida, que brota da Cruz, do Calvário.
Viva com Deus por amor, isso gera vida e essa vida é vivida pela fé. Fé no Filho de Deus. Largue a religiosidade, isto nos consome.

22 de set de 2009

A GLÓRIA


"A liberdade da glória dos filhos de Deus", escreve o apóstolo Paulo em Romanos 8:21, nos dizendo através disso que há uma glória que é a propriedade peculiar dos santos, uma glória da qual eles podem dizer: 'Ela é nossa propriedade'.Essa glória contém a liberdade.Ela liberta aqueles que a possuem. A corrupção trouxe com ela cadeias e escravidão: a glória traz com ela a liberdade divina! Não é a liberdade que traz a glória: é a glória que traz a liberdade. Abençoada liberdade! Liver de toda escravidão! Não apenas da escravidão da corrupção, do pecado e da morte, mas da escravidão da tristeza! Pois não é a tristeza uma escravidão? Não são as suas cadeias severas e pesadas? Dessa escravidão da tribulação a glória nos fez esternamente livres. É o último grilhão, a menos do da sepultura, que está afetando os nossos membros, mas quando ele é quebrado, é quebrado para sempre! Oh regozijante esperança! Oh bem vindo dia, quando o portador dessa glória chegar, e a voz será ouvida no céu: "Eis que faço nova todas as coisas".
Nem é apenas a liberdade que esta glória contém nela, mas o poder também como está escrito: "fortalecido com todo poder de Sua glória" (Col.1:11). Esta glória tem, mesmo agora, um poder que dá energia, pela qual somos fortalecidos "em toda a paciência e longanimidade com alegria". Assim, "nos alegramos na esperança da glória de Deus" (Rom. 5:2), somos supridos para todo tipo de tribulação e resistência. Embora ainda entre as coisas "que não se vêm", ela não apenas lança a frente uma irradiação que brilha em nosso caminho, mas derrama uma força que nos capacita a "correr com paciência a carreira diante de nós". E, assim, em um mundo profano, "nos conduzimos dignamente para com Ele que nos chama para o Seu reino e glória" (I Tes. 2:12), tendo esta oração cumprida em nós: "E o Deus de toda a graça, que em Cristo vos chamou à sua eterna glória, depois de haverdes sofrido por um pouco, ele mesmo vos há de aperfeiçoar, confirmar e fortalecer" (I Pe. 5:10.

Extraido do livreto "O Vencedor" públicado pela Editora Restauração. Visite o site http://www.editorarestauracao.com.br.

8 de set de 2009

RIC OU 666


O modelo de cartão de identidade aprovado pela PF, reunirá todas as informações pessoais, como CPF, Titulo de Eleitor, armazenados num chip. Itens de segurança como marca d’agua, os dados serão inscritos não com tinta. Para maiores informações acesse:
http://oglobo.globo.com/pais/mat/2008/07/07/governo_deve_adotar_novo_modelo_de_carteira_de_identidade_em_2009-547138213.asp

O Governo quer sair na frente com esta tecnologia, uma nova identidade (RIC – Registro Único de Identidade Civil) para os brasileiros. Essa nova identidade tem tudo para ser um prenuncio da marca da Besta. Esse tal de chip já existe há alguns anos e essa sistemática de controle que iniciou nos produtos mercantis com o advento do código de barras, após o chip implantado nos animais e também nos milionários para se prevenir de um seqüestro, nada mais é do que a artimanha de Satanás do controle que haverá quando o anticristo surgir.
A antiga serpente lá no jardim do Éden enganou a Adão e Eva com a conversa de adquirir sabedoria e ser conhecedor do bem e do mal, esse conhecimento durante os séculos colocou a humanidade na situação que se encontra hoje.
Cresce o número de Ongs que procura cuidar do planeta e do meio ambiente, que está em destruição justamente por causa da grande sabedoria do homem, que cria coisas e não consegue controlar os efeitos colaterais dessa criação que causa um dana quase que irreparável na natureza, gerando assim as grandes catástrofes que temos presenciado da qual foi a tônica profética do princípio de dores que o Senhor Jesus falou acerco dos tempos finais.
Toda essa situação mundial de violência e destruição tem gerado no coração dos homens um temor violento e por causa disso aparecem soluções que tentam trazer certa paz aos homens. Agora no Brasil temos aí a nova identidade que diz trazer segurança aos portadores da mesma.
Estamos ouvindo novamente o chiado da serpente?
Quem tem ouvidos para ouvir, ouça!

FALÊNCIA DA VIDA


Ao ler uma revista que trata de assuntos filosóficos, deparei-me com um artigo de tratava da morte. Li atentamente tudo o que estava escrito, havia algumas considerações filosóficas e citados alguns filósofos desde antigos até modernos. Ao fim na se tinha uma conclusão clara sobre o assunto e a coisa ficou a cargo de cada um sobre a forma ou atitude de encarar esse grande inimigo do homem.
Pensando sobre o assunto e qual a fonte confiável para orientar-me sobre a morte e, afinal em que momento a morte chegou até nós, pois a morte nada mais é do que falência da vida. Dentre tantas possíveis fontes fiquei com a Bíblia, pois ela é o livro mais vendido no mundo, seu texto tem sobrevivido intacto durante os séculos e milênios. Muitas tentativas foram feitas para destruir a Bíblia, mesmo assim ela tem passado por tudo isso e continua tão atual quando foi escrita.
O surgimento da morte é relatado no livro do Gênesis 2:16,17 – aqui Deus diz que se o homem comesse da árvore do conhecimento do Bem e do Mal ele morreria. O homem desobedeceu a Deus e comeu causando assim a morte do elemento mais importante para a manutenção de sua vida natural que foi a morte espiritual, ou seja, o ponto onde Deus se relaciona com o homem. Com essa morte é cortada a comunhão do homem com Deus e por isto expulso do jardim do Éden, para viverem suas vidas segundo o fruto da árvore que haviam comido e distante de Deus. A partir daí a morte teve domínio sobre o corpo natural do homem. Já que a morte é a falência da vida, essa falência é causada pelo afastamento do homem de Deus que traz a morte ao mundo, conforme Romanos 5:12. Não há quem possa escapar da morte, todos nós passaremos pela morte, alguns sobreviverão a ela outros ficarão presos nela. O fato da morte é algo inevitável, mas não imutável, há a possibilidade de não morrermos. A Bíblia mostra que durante todas as gerações dos homens Deus vem em direção do homem para buscá-lo e leva-lo as suas origens. Num determinado tempo Deus envia seu Filho ao mundo para salvar esse mundo; mundo aqui se refere as pessoas e não a natureza (João 3:16). Para poder salvar o mundo o Filho de Deus precisa sofrer, enfermar e morrer aniquilando assim o poder da morte sobre o homem através da sua ressurreição e nos deixa a promessa de que não permaneceremos na morte, mas sairemos ressurretos dentre os mortos por cremos em Jesus Cristo e por recebermos como Salvador e Senhor (João 5:24). Aquele que está em vivendo uma vida com Cristo ou como cristão tem esta esperança da ressurreição dentre os mortos e por isso a morte toma um novo sentido. Para o cristão ou para o cristianismo a morte não é algo vazio sem esperança, mas ela torna-se como a noite na qual nos deitamos e dormimos e após algum tempo neste estado acordamos para um novo dia, para uma nova experiência. Assim a morte é um sono do qual nos acordaremos e é claro que para alguns essas noite refere-se a longos anos para outros poucos minutos, mas um novo dia se nos apresentará. Se você receber a Cristo em seu coração como Senhor e Salvador esta esperança será tua também e, quando dormires certamente um novo dia está a tua disposição, assim como nos deitamos para um descanso merecido pela noite tendo a certeza de que acordaremos no dia seguinte, nesta mesma esperança dormimos (morremos) para acordarmos na manhã seguinte, quando Cristo estará contigo.


Lei I Corintios 15 que é um tratado sobre a ressurreição.

4 de set de 2009

PRESENÇA DO SENHOR (parte 2)




No último artigo sobre a Presença do Senhor, entendemos que a sua Presença vem através de pessoas. Assim como eram os Levitas quem traziam a arca e a arca representa a Presença de Deus, assim nós como sacerdotes (I Pedro 2:9) trazemos a Presença de Deus.
A arca em si não tinha nada, mas o que estava no interior da arca era o ponto chave da Presença de Deus se manifestar. Vamos colocar nossa atenção na arca e vejamos o que Deus orienta. Êxodo 37:1-5 – o mandamento do Senhor em fazer a arca era para ser feita de madeira, madeira de acácia e revestida por dentro e por fora com ouro. Essa árvore que veio toda a madeira para a construção do Tabernáculo e das peças de mobília, conforme Êxodo 25. A acácia do Sinai é espinhosa, cheio de nós e é toda torcida, em hebraico, chamada de seneh, que deu origem a palavra Sinai e também é chamada shittim, possui frutos e inflorescências de cor vermelha, dão a impressão de longe que a planta esta pegando fogo. Nasce no vale do Jordão desenvolvendo-se do mar morto ao mar da Galiléia. Essa madeira fala da natureza humana, uma natureza pecaminosa.
O ouro que foi revestida, pala da glória de Cristo (ICorintios 5:17; Colossenses 1:27; Lucas 24:49). Assim foi feito conosco, ainda em pecado fomos salvos e formos revestidos de Cristo. Em nós mesmos não temos nada de bom, nada que se aproveite, pois tudo o que sai do homem gera morte. Agora revestidos de Cristo podemos resplandecer essa glória, não é nossa, e não vem de nós, mas é Cristo em nós, esperança da Glória. Quando as pessoas nos olham e vêem algo bom, não é nosso, mas é Cristo sendo revelado em nós.
Dentro da arca haviam três coisas que Deus tinha sido orientado ser guardado, essas três coisas é que fazem com que a presença de Deus seja manifestada.
A primeira coisa que tinha na arca era;
As Tabuas da Lei – que fala da aliança de Deus com o homem. Hoje a aliança de Deus com o homem está em Cristo que é a Palavra feito carne vindo em direção ao homem. Essa aliança que é a Palavra de Deus deve habitar em nós (Colossenses 3:16; Efésio 3:16; I Corintios 1:5,6). Não podemos viver o cristianismo sem a Palavra Viva de Deus em nós. O cristianismo não uma religião cheio de dogmas, preceitos, regras, não é um sistema religioso, mas é, Vida, é Cristo vivendo em nós.
A segunda:
Uma porção de Maná – Pão do céu – isto fala de alimento, comunhão – precisamos nos alimentar com a Palavra de Deus (Mateus 4:4) o relacionamento com irmãos em Cristo, a vivência em comunidade, como se refere a própria palavra comunhão = comum + união ou seja que tenhamos tudo em comum conforme: Atos 2:42; I Corintios 10:16,17; I João 1:3,7).
A terceira:
Vara de Arão que floresceu – aqui fala do poder de Deus habitando em nós e através de nós, esse poder é para cumprir o mandamento principal dado pelo Senhor Jesus que é o ser testemunha. Não para usarmos desse poder segundo nosso bem entender, como exibicionismo em expulsão de demônios, curas e tantas outras coisas que vemos por aí e que deprecia a pessoa do Senhor Deus e do próprio cristianismo. O ministério mais importante da Igreja e dos membros é serem Testemunha, foi para isso que o Senhor Jesus deu-nos o Espírito Santo (Atos 1:8). O Espírito Santo em nós é o poder de Deus e quando por esse poder formos pregarmos o Evangelho dar-se-á curas, expulsão de demônios e outros atos relacionados a esse poder (Marcos 16:17,18). O Poder de Deus habitando em nós somos capacitados para toda boa obra e isso glórifica ao Senhor Deus e traz honra ao cristianismo (II Corintios 4:6,7; 12:9), porque não vem de nós, mas é na nossa fraqueza e em vasos de barro que isso acontece.
O entendimento e o ensino que tiramos é que três coisas são prioritárias em nossas vidas:
• A prática da Palavra de Deus (o viver) conforme Mateus 7:24. Essa prática vem de ouvir a Palavra de Cristo e obedecer;
• A comunhão com Deus e com os irmãos é isso que nos ajuda, fortalece, nos anima a praticarmos todo o ensino do Senhor (Atos 2:42; I João 1:6,7);
• O Poder de Deus em nós para cumprirmos o ministério comum a todos os santos e se formos chamados a um ministério específico ( Atos 4:33; 6:8; Romanos 15:9; I Corintios 2:4; 4:20).

1 de set de 2009

Presença do Senhor


O fator mais importante na vida do cristão é a presença do Senhor. Podemos ser cristãos formais, seguirmos a tradição cirstã, mas carecer da presença do Senhor. Por crescermos em um lar cristão ou por conviermos com cristãos e por sero nosso continente cristianizado adquirirmos uma estrutura mental de ser cristão. Sendo a prática de vida muito distante da verdadeira vida cristã. Para confirmar essa minha afirmação quero analisar um texto que está em I Samuel capítulo 2 versículo 12 - Os filhos de Eli eram ímpios;não conheciam ao Senhor. Esse texto deixa muito claro que os filhos de Eli receberam o sacerdócio por tradição familiar, mas não conheciam o Senhor, por isso eram ímpios, e na sua impiedade vivam da forma que achavam melhor. Quando Eli soube das atitudes dos filhos ele os repreendeu na base dos comentários ouvido pelo povo e não segundo a Palavra do Senhor. Assim como os filhos de Eli, muitos em nossa geração estão agindo do seu modo de ver e interpretar a Palavra do Senhor sem realmente se importar com o que Deus está verdadeiramente falando. Por este motivo estamos vivendo um momento onde vemos tantos escândalos e maus testemunhos, não é de se admirar a pouca penetração do evangelho na vida das pessoas e uma aparência de que estamos a um passo ou vivendo um avivamento. Após esse período como Israel estava distante de Deus e por inveja das nações eles pedem um Rei. O verdadeiro avivamento em Israel estava por vir. Em II Samuel capítulo 6 versiculos 1 e 2 - Davi voltou a reunir os melhores homens de Israel, num total de trinta mil. Depois partiu para Baalá de Judá com todos os que estavam com ele, para trazerem dali a arca de Deus, sobre a qual se invoca o Nome, o nome do Senhor dos Exércitos, entronizado sob os querubins. Davi após derrotar os filisteus deseja trazer de volta a arca da Aliança para Jerusalém, é neste momento que começa o avivamento porque a arca de Deus representa a presença do Senhor. O avivamento começa quando a presença do Senhor se manifesta no meio da Igreja e há um morrer da força da carne. Com este intento no coração Davi busca na sabedoria humana trazer a arca e para isso manda fazer um carro novo para levar a arca, mas no caminho os bois tropeçam e a arca ameaça cair e Uzá estende a mão para segurar a arca e morre. Uzá significa - força, é a força da carne querendo trazer a presença do Senhor e para isso utiliza de coisas pensando que é isso que traz a presença do Senhor (no conceito de Davi) e a força do homem para manter a presença do Senhor na sua manifestação. Esta morte traz tristeza e medo ao coração de Davi que manda deixar a arca na casa de Obede-Edom, a arca ficou tres meses e Deus abencoou ele e toda a sua casa. Informado Davi do ocorrido a Obede-Edom, ele entende que algo foi feito errado e busca saber como se deve trazer a arca de Deus (presença do Senhor). Somo informado em I Crônicas capítulo 5 versiculos 1 a 3 que os Levitas são quem deveriam levar a arca, conforme Deuteronômio capítulo 10 versículo 8.O Senhor Deus decidiu se manifestar não em coisas e muito menos em formas, mas através de pessoas. Quando o Senhor Jesus em Mateus capítulo 18 versículo 20 diz: Pois onde dois ou tres se reunem em meu nome, ali estou no meio deles, Ele enfatiza que sua presença será manifesta não através no prédio que construímos e chamamos de Igreja em muito menos nas coisas presentes dentro desse prédio a qual chamamos de altar, mas pelo fato de haver dois ou tres reunidos em nome dEle, há sua manifestação. Jesus promete estar conosco até a consumação dos séculos pelo fato de pregarmos o evangelho, de testemunharmos dEle; somos nós que transportamos a presença do Senhor onde quer que vamos. Jesus é quem manifesta a presença do Pai, assim somos nós que manifestamos a presença dEle. Não devemos experar em coisas ou formas, não é a música, não é o instrumento, não é o local (se no monte ou fora dele), Deus quer manifestar-se através de nós, está é a nossa gande vocação - Ser conformado a imagem do Filho - Romanos 8:28-30.
Fim da 1ª parte.

7 de ago de 2009

NA PRESENÇA DO SENHOR


"Á tua fé te salvou; vai-te em paz" Lucas 7:50.


(Ler no Evangelho Segundo S. Lucas, no capítulo 7, os versos 36 a 50).




Simão, o fariseu, certamente convidou o Senhor Jesus para comer com ele, mas parece não nutrir por Ele muita estima: "Se este fora profeta...". E, despreza também a mulher que veio aos pés do Senhor, para chorar, por causa dos seus muitos pecados. Mas Jesus responde com uma linda história aos secretos pensamentos do Seu hospedeiro. Como se sentiria o fariseu ao ver-se descoberto!


Destas duas pessoas ali presentes perante o Salvador, qual delas será a mais culpada? Só que Deus o sabe. Em todo o caso uma e outra são moralmente insolventes e, por conseguinte, ambas estão perdidas, se a graça de Deus não intervir (Mateus 18:23-27).


E o mesmo se dá com todos nós. Todos pecamos, pelo menos pela cobiça, e não possuímos nada com que pagar a nossa dívida ao Deus justo e santo.


Contrariamente ao fariseu, a mulher reconhece com humildade o seu estado, e volta-se para O único que pode salvá-la. Por isso ela escuta aquelas maravilhosas palavras de graça. Toma conhecimento de que os seus numerosos pecados lhe são perdoados. Por isso ela amava o seu Salvador tanto mais quanto tinha consciência da enormidade da sua dívida. Pelo contrário, o orgulo natural do coração do homem retém-no a distância. É pela fé que esta mulher é salva, fosse muito embora fraca a sua fé. O próprio Senhor Jesus lho assegura: "A tua fé te salvou; vai-te em paz". As lágrimas do arrependimento sucede, para ela, a tranquila certeza de um pleno perdão, certeza essa fundada na palavra do Senhor.


E tal como ela, amados, também nós podemos gozar da mesma paz que Ele nos dá!
(Extraído do livreto Leituras Cristãs, volume 33, número 5)

29 de jul de 2009

A NOITE ESCURA

Em uma noite escura

De amor em vivas ânsias inflamada

Oh! Ditosa ventura!

Saí sem ser notada,

Estando já minha casa sossegada.


Na Escuridão, segura,

Pela secreta escada, disfarçada,

Oh! Ditosa ventura!

Na escuridão, velada,

Estando já minha casa sossegada.


Em noite tão ditosa,

E num segredo em que ninguém me via,

Nem eu olhava coisa alguma,

Sem outra luz nem guia

Além da que no coração me ardia.


Essa luz me guiava,

Com mais clareza que a do meio-dia

Aonde me esperava

Quem eu bem conhecia,

Em lugar onde ninguém aparecia.


Oh! noite, que me guiaste,

Oh!noite, amável mais do que a alvorada

Oh! noite, que juntaste

Amado com amada,

Amada no amado transformada!


Em meu peito florido

Que, inteiro, para ele só guardava,

Quedou-se adormecido,

E eu, terna o regalava,

E dos cedros o leque o refrescava.


Da ameia a brisa amena,

Quando eu os seus cabelos afagava,

Com sua mão serena

Em meu colo soprava,

E meus sentidos todos transportava.


Esquecida, quedei-me,

O rosto reclinado sobre o Amado;

Tudo cessou. Deixei-me,

Largando meu cuidado

Por entre as açucenas olvidado.


SÃO JOÃO DA CRUZ

21 de jul de 2009

O EVANGELHO DE CRISTO





"Jesus Cristo, o Nazareno, aquele a quem vós crucificastes e a quem Deus ressuscitou dos mortos... E em nenhum outro há salvação, porque també, debaixo do Céu, nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos" (Atos 4:10-12).

O Evangelho de Cristo já não terá nada a dizer ao homem do século XXI? Certamente que sim! Este homem foi capaz de se subtrais à atração terrestre e de penetrar nalguns segredos do átomo, para utilizar a sua energia; mas tem as mesmas necessidades espirituais que os seus antepassados. E essas necessidades nada nem ninguém as pode satisfazer, a não ser o Senhor, nosso Deus e nosso Pai.
E como a mensagem do Evangelho é sinples na sua forma, e vasta nas suas consequências! Deus, infinito, insondável, Criador e Senhor do Universo, Justo e Santo, tomou a iniciativa de se aproximar do homem pecador, para lhe fazer graça. O Deus de Abrão, de Isaac e de Jacó, o Deus da Bíblia não está longe de nós, como imaginam tantas religiões e filosofias. Ele veio até nós na Pessoa do seu Filho. Não hesitou em se humilhar, do alto da glória onde estava, até às profundezas do abismo onde nós nos encontrávamos. Mas o homem, na sua loucura, quer prescindir de Deus. Ah!, se ele ao menos soubesse qual o amor que enche o coração desse Deus de quem ele se afasta, ele se aproximaria, pelo contrário, para lhe confessar a sua miséria, e aceitaria, pela fé, a salvação que Ele lhe oferece. "Nisto está o amor, não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou a nós, e enviou seu Filho para propiciação pelos nossos pecados" (I João 4:10).
Hoje, como ontem, como sempre, o Evangelho de Cristo é para todos e responde perfeitamente tanto âs exigências da glória de Deus como à nossa profunda miséra.


Extraído do livreto Leituras Cristãs - volume 33 número 5, distribuido por Depósito de Literatura Cristã.

DO HUMILDE PENSAR DE SI MESMO





Todo homem tem desejo natural de saber; mas que aproveitará a ciência, sem o temor de Deus? Melhor é, por certo, o humilde camponês que serve a Deus, do que o filósofo soberbo que observa o curso dos astros mas descuida de si mesmo. Aquele quese conhece bem prespreza-se e não se compraz em humanos louvores. Se eu soubesse quanto há no mundo, porém me faltasse o amor, de que me serviria isso perante Deus, que me há de julgar segundo as minhas obras?

Renuncia ao desordenado desejo de saber, porque nele há muita distração e ilusão. Os letrados gostam de ser vistos e tidos por sávios. Muitas coisas há cujo conhecimento pouco ounada aproveita à alma. E mui insensato é quem de outras coisas se ocupa e não das que tocam à sua salvação. As muitas palavras não satisfazem à alma, mas uma palavra boa refrigera o espírito e uma consciência pura inspira grande confiança em Deus.

Quanto mais e melhor souberes, tanto mais rigorasamente serás julgado, se com isso não viveres mais santamente. Não te desvaneças, pois, com qualquer arte ou conhecimento que recebeste. Se te parece que sabes e entendes bem muitas coisas, lembra-te que é muito mais o que ignoras. Não presumas de alta sabedoria (Romanos 11:20), antes confessa a tua ignorância. Como tu qures a alguém preferir-te, quando se acham muitos mais doutos do que tu e mais versados na lei? Se queres saber e aprender coisa útil, deseja ser desconhecido e tido por nada.

Não há melhor e mais útil estudo que conhecer-te perfeitamente desprar-se a si mesmo. Ter-se por nada e pensar sempre bem e favoravelmente dos outros, prova é de grande sabedoria e perfeição. Ainda quando vejas alguém pecar publicamente ou cometer faltas graves, nem por isso te deves julgar melhor, pois não sabes quanto tempo poderás perseverar no bem. Nós todos somos fracos mas ninguém deves considrar mais fraco que a ti mesmo.



Extraído do livro IMITAÇÃO DE CRISTO, (Tomás de Kempis), capítulo 2.



15 de jul de 2009

A ATUALIDADE DA CRUZ


Muitas pessoas empurram a cruz de volta para dezenove séculos atrás e a consideram como velha, antiguada, e obsoleta. Embora seja verdade que a história do mundo considera o Gólgota de Cristo como um evento histórico, na experiência espiritual dos crentes a cruz de Cristo ainda é um evento atual. Não é velho, antiquado, ou obsoleto. Podemos considerar uns poucos versos.


Hebreus 10:19 e 20 dizem: "Tendo pois irmãos, ousadia para entrar no santuário pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho, que Ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne". A fim de compreender esses dois versos, temos que entender as coisas mencionadas no Antigo Testamento. Nos tempos antigos, o tabernáculo era dividido em duas partes. A primeira parte era chamada de lugar santo, e a outra parte era chamada de santo dos santos. As duas partes estavam divididas por um véu. Aquele que entravam no santos dos santos tinham que passar pelo véu. A glória de Deus era manifestada dentro do santo dos santos. Nenhuma pessoa comum podeia entrar no santo dos santos. Somente o sumo sacerdote podia entrar ali uma vez por ano. Ante de entrar ali, tinha que oferecer primeiro sacrifícios e fazer expiação por ele mesmo e pelas pessoas e tinha que entrar com o sangue de touros e cabras. Para nós agora, entramos no santo dos santos pelo sangue do Senhor Jesus. Isso significa a cruz. Antigamente o sumo sacerdote entrava no santo dos santos somente uma vez por ano. Agora, pela cruz do Senhor Jesus nós podemos entrar no santo dos snatos a qualquer hora. Qual é o significado de entrar no santos dos santos? Significa que podermos ir a Deus para confessar nossos pecados, ter comunhão com Ele, e estar em Sua presença.


Aqueles que entravam no santo dos santos tinham que passar pelo véu. O véu significa o corpo do Senhor Jesus. Quando Ele foi crucificado, o véu do templo foi rasgado ao meio de alto a baixo. Se o véu não tivesse sido rasgado, os homens não poderiam passar por ele. Se o Senhor Jesus não tivesse morrido e não tivesse partido o Seu corpo, os homens não poderiam passar por Ele e não poderiam entrar no santos dos santos. No tempo presente, vamos a Deus através da morte do Senhor Jesus. Isso também significa a cruz.


Nossa Bíblia nos diz que esse caminho através do véu foi aberto para nós pelo Senhor Jesus. Na verdade voluntariamente abriu mão de Sua vida para nos redimir.


Precisamos prestar atenção no fato de que esse caminho é "novo e vivo". A palavra "novo" na linguagem original se refere a algo recém oferecido ou recém sacrificado. Aqui vemos a atualidade eterna da cruz! O sumo sacerdote não podia confiar nas ofertas ou sacrifícios dos anos anteriores. Tinha que haver ofertas recentes e sacrifícios recentes. Ele somente ousava entrar e estava capacitado para entrar no santo dos santos pelo sangue destes animais. Que tal nós agora? Vamos a Deus pelo sangue do Senhor e através do Seu corpo. Todas as vezes que vamos para diante de Deus, não temos que oferecer novos sacrifícios. Nosso Sacrifício é sempre atual! A cruz do Senhor Jesus não se torna velha com os anos. Sua atualidade é a mesma hoje e sempre, como foi na ocasião da crucificação. Sempre que vaos para diante de Deus, podemos sentir a atualidade da cruz do Senhor. Nos tempos antigos, a menos que o sumo sacerdote tivesse sangue novo de sacrifícios recém oferecidos, poderia morrer diante do Senhor. Os sacrifícios dos anos anteriores não podeiam remi-lo de seus pecados do corrente ano. Se Deus não considerasse o sacrifício remissório do Senhor como eternamente atual, teríamos perecido há muito tempo. Graças ao Senhor que a cruz é eternamente atual diante do Senhor. O Senhor considera a cruficifação como recentemente consumado.

Este caminho é também "vivo". Essa palavra também pode ser traduzida como "vivo para sempre". Esse caminho é o caminho que é "recém oferecido". É também um caminho que é "vivo para sempre". Cristo morreu e ressuscitou; Ele consumou a salvação para nós e nos conduziu a Deus. Deveríamos saber que Crisjto ressuscitou e que a Sua ressurreição permanece até hoje. Deveríamos saber também que Cristo morreu e que a Sua morte substitutiva continua até hoje. Os maiores eventos na vida terrena de Cristo foram a Sua morte e ressurreição. Ambos não são passados, eventos obsoletos. Hoje ainda são atuais. Já que temos tal Salvador atual e remidor, devemos recebê-lo e ir a Deus através Dele para receber o perdão e a benção.

Em Apocalipse 5 está registrado quando João viu ao Senhor Jesus Cristo no céu. Ele disse: "Vi no meio do trono e das quatro criaturas viventes, e no meio dos anciões, um Cordeiro em pé como havendo [recém] sido morto" (verso 6, deacordo com o original). Este é um quadro do Gólgota. Contudo o Senhor era como Alguém que havia sido morto. As palavras "havendo sido morto" podem também ser traduzidas como "havendo sido recentemente morto". No céu no tempo da introdução da eternidade, o Senhor ainda será Aquele que é recém morto! Ah, a atualidade eterna da cruz! Verdadeiramente a cruz passa por todas as eras e permanece atual! Se a cruz será atual no céu naquele dia, como podemos considerá-la como sendo velha hoje? No futuro quando a glória celestial irromper a glória da cruz se comprovará imarcescível! Quando os remidos de Deus ascenderam ao céu, ainda acharão a rendeção da cruz tão atual quanto antes!

Um ponto merece nossa atenção. No Antigo Testamento Cristo é duas vezes chamado de o Cordeiro (Is. 53.7; Jr 11.19). Nos Evangelhos e em Atos é mencionado como cordeiro três vezes (Jo 1.29,36; At 8.32). Nas epístolas é mencionado como Cordeiro uma vez (1 Pe 1.19). Contudo, em Apocalipse é mencionado como Cordeiro vinte e oito vezes! A glória da cruz do Senhor excederá em brilho por todas as eras! Deus propositalmente chama seu Filho de Cordeiro neste livro da eternidade. O Cordeiro aqui é visto como havendo sido recém morto. A ferida ainda está ali! A ferida eterna grante a Salvação eterna. A crucificação do Cordeiro se torna nosso memorial eterno. Deus jamais pode se esquecer disso. Os anjos jamais podem se esquecer disso, e aqueles ascendidos e salvos jamais podem se esquecer a redenção da cruz. Quem receberá esta salvação eterna? A cruz é o único lugar inabaláve. Todos aqueles que pecaram devem vir.


"Texto extraído do livreto "O Tempo da Cruz" de autoria de Wathman Nee, publicado pela Editora Restauração. Você pode copiar a integra do livro no site http://www.editorarestauracao.com.br/ ou no link www.editorarestauracao.com.br/arqs/OTC.pdf



24 de jun de 2009

RUDE CRUZ


George Bennard (1873-1958)
Rude cruz se erigiu! Dela o dia fugiu,
Em sinal de vergonha e de dor!
Mas eu amo essa cruz, sobre a qual meu Jesus
Deu a vida por mim, pecador.
Sim, eu amo a mensagem da cruz;
Até morrer eu a vou proclamar.
Levarei eu também minha cruz,
Até por uma coroa trocar.
Desde a glória dos Céus, o Cordeiro de Deus
Ao Calvário humilhante baixou;
E essa cruz tem pra mim atrativos sem fim,
Pois Jesus nela me resgatou.
Nessa cruz padeceu, desprezado, morreu
Meu Jesus para dar-me o perdão.
Eu me alegro na cruz, dela vem graça e luz
Para minha santificação.
Eu aqui, com Jesus, a vergonha da cruz
Quero sempre levar e sofrer;
Ele vem me buscar, e com Ele, no lar,
Uma parte na glória hei de ter.

APRENDER A CRISTO


Mateus 11:29 - Aprendei de mim.

Aqui há um chamado de aprendizado. Quando Paulo escreve aos Efésios no capítulo 4 verso 20 ele diz: aprendestes assim a Cristo, ele não usa "de" e sim "a", porque se o chamado de Jesus é para aprender dEle? Quando o Senhor Jesus fez esse chamado Ele fez aqueles que o estavam ouvindo no momento, mas esse chamado para o futuro nós não aprendemos dEle e sim aprendemos Ele, pois o ensinador agora é o Espírito Santo e o Espírito ensina Cristo.
Marcos3:14 - Ele foram chamados para aprenderem de Cristo - esse aprendizado (discipulado) significa que eles vieram sob disciplina. Ninguém aprende sem disciplina, por disciplina quero dizer não vara e sim obedîência, persistência, etc.
Quando o povo de Israel estava no cativeiro e tudo o que representava esse povo tinha se acabado teve uma visão (Ezequiel 40:2-4; 43:10,11) - aqui Deus apresenta o objeto. O método de Deus para com o seu povo, para assegurar a total expressão do seu ensino é apresentar o objeto - Mateus 3:17 - Cristo - completa, ampla e detalhada expressão do seu ensino.
Paulo entendeu isso e declarou esse fato - Romanos 8:29. O Espírito Santo quer nos familiarizar com o objeto para nossa educação espiritual. Ele o Espírito precisa revelar Cristo em nós, para em seguida começar a obra de conformar a Cristo. Para aprender Cristo, primeiro devemos ver Cristo.
Podemos ver isso na vida de Paulo (ano 33 ou 34), no início de sua experiência - Gálatas 1:16 (fins ano 48) e no final - Filipenses 3:10 (ano 61).
Após o Espírito Santo no mostrar Cristo, Ele nos faz ver a total impossibilidade de nós sermos aquilo por nossa capacidade.
Deus tem mostrado o seu modelo, tem dado o seu objeto. Quando olhamos para o modelo nos deparamos com a impossibilidade de sermos aquilo, por nós mesmos. Isto nos leva a uma coisa "desespero". Precisamos aprender a lição do desespero. Essa lição tem por objetivo nos levar a uma dependência total do Espírito. Estamos ainda procurando algo em algum lugar, algum retalho de bondade para apresentar a Deus.
Você jamis irá encontrar. Desepere-se. Isaias 64:6. Quando entendermos isso, certamente isso nos leva a uma posição gloriosa. Aprendei de mim e encontrareis descanso para as vossas almas. Isto é tudo. Para podermos aprender precisamos estar vazios e neste vazio dependermos do enchimento do Espírito Santo e isto nós recebemos quando estivermos com os nossos olhos não em nós e na nossa capacidade ou no que temos de bom ou ainda no que podemos fazer de melhor. É nos necessário estar olhando para o modelo e olhando nos conformar ao modelo (Hebreus 12:1,2).

5 de jun de 2009

JUSTIÇA! ONDE ESTÁ?


"Vi também que debaixo do sol havia a maldade no lugar da retidão; e que havia ainda mais maldade (injustiça) no lugar da justiça." Eclesiastes 3:16


Estas palavras do Rei Salomão são mais atuais do que nunca. Se na época de Salomão já havia injustiça imagine quanta injustiça foi acrescentada sobre a injustiça até agora. Hoje vemos a injustiça em todo lugar, em todos os graus, em todos os setores da sociedade. Há um clamor para que seja feita justiça, e quanto mais se pede justiça mais, injustiça vemosserem feitas. A história da humanidade está aí escrita para mostrar e provar que o homem não consegue ser justo. Pois todas as vezes que se pratica a justiça outa injustiça acaba sedo feita. Esta ambiguidade da humanidade deve-se ao fato da natureza humana. A sociedade humana, não tem condições para cirar um ambiente de justiça e retidão e muito menos de mudar a natureza humana. Quando queremos saber sobre algum fato diz a palavra da sabedoria que devemos ir ao ponto inicial, ou seja, ao momento em que houve a primeira observação do fato, para a partir daí chegarmos a uma conclusão mais correta. Usanto então esta sabedoria devemos ir até o momento da criação do homem. Relata a Bíblia em Gênesis que o homem desobedece ao mandamento de Deus, essa desobediência é o primeiro ato de injustiça e come da árvore do conhecimento do bem e do mal, como consegüência desta injustiça o homem e sua mulher foram expulsos do jardim e sua natureza foi acrescido deste fruto o bem e o mal. Assim que saíram do jardim tiveram dois filhos um do bem (Abel) e outro do mal (Cain) e a partir daí os homens tem em sua natureza essa ambiguidade. Tudo o que o homem cria tem estes dois lados, também por isso vemos em todas as tramas em filmes, novelas, contos a luta entre o bem e o mal. Com este fato arraigado a natureza humana, o ser humano fica prisioneiro desta natureza. O prisioneiro não tem como se libertar, ainda que escape momentaneamente não deixa de ser um proscrito e assim que é visto volta à prisão, assim o homem pode momentaneamente escapar mais continua sendo um proscrito, tudo e todos empregarão esforços para manter este homem na prisão. Ouve-se por aí um dito "O Cosmos conspira contra mim" é neste sentido o manter o homem preso. O rei Salomão, no capitulo tres de Eclesiastes no verso 18 diz: "Eu disso no coração: Deus prova os homens para que possam ver que são como animais". Deus na sua grande misericórdia e graça dispensada em seu Filho Jesus Cristo quer restaurar esse homem como diz no Evangelho de João 3:16 - Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu seu Filho Unigênito para que todo aquele que nele crê não pereça mas tenha a Vitda Eterna. A humanidade não tem condições de se redimir e Deus redimiu o homem em seu Filho quando Ele foi cruficado, morte e ressurreto no terceiro dia. O próprio Jesus quando da grande comissão deixou claro que a reconciliação da humanidade com Deus através dEle se daria individualmente e não coletivamente, ainda que um grupo de pessoas venham a serem salvas a experiência é individual, conforme Mateus 28:18-20 - a comissão aqui foi de fazer discípulos de todas as nações ensinando a obedecer aos seus ensinos. Se cada ser humano não chegar aos pés dacruz e se arrepender dos seus pecados é impossível ter uma sociedade transformada. Em I João 5:17a - Toda a injustiça é pecado. No verso 19b do capítulo 5 diz - O mundo inteiro jaz no maligno. Se toda injustiça é pecado e o mundo está no maligno então cada injustiça praticada um pecado é praticado, estas injustiças fazem com que o mundo ainda mais se torne maligno. Jesus Cristo é a solução de Deus, pois Ele morreu na cruz pelo pecado dos homens e nEle temos uma nova vida, uma vida reconciliada com Deus através de Jesus Cristo, como conseguencia uma nova natureza é gerada em nós. Podemos então ser um referencial para muitos outros. Quanto mais referenciais tiverem no mundo, o mundo será transformado por esses referenciais. A Palavra de Deus diz: Porquea ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus ( Romanos 8:19). A minifestação dos filhos de Deus trará uma nova ordem das coisas. A manifestação dos filhos de Deus trará uma sociedade celestial a terra. A nossa parte nessa reconciliação é primeiramente ser salvo por Jesus Cristo e ser transformado através da reconciliação com Deus. Você que está lendo este escrito, já recebeu a Jesus Crisjto como teu Salvador e Senhor? Se não, agora é o momento para isso. Diga com tuas palavras que recebe a Jesus Cristo como Senhor e Salvador e serás salvo. Se já empregue todas as tuas energias na vida com Ele. A esperança do mundo reside nos filhos de Deus, sem os filhos de Deus o mundo vai ficar cada vez pior. A Igreja hoje tem uma responsabilidade grande em apresentar Jesus Cristo para esse mundo, não somente em palavras, mas principalmente em atitudes que nos identifiquem com Deus. Que aconteça com a Igreja hoje o que aconteceu em Antioquia - E sucedeu que todo um ano se reuniram naquela Igreja, e ensinaram muitoa gente; e em Antioqui foram os discipulos, pela primeira vez, chamados cristãos. Que a vida de Cristo vivida em todos os filhos de Deus tragam esse testemunho. Se voce deseja se tornar um filho de Deus aconselho-te que procures uma Igreja que viva os ensinamentos de Jesus mais próxima de tua casa.

28 de mai de 2009

EXPERIÊNCIA COM DEUS




JESUS CRISTO É O MESMO ONTEM, HOJE E O SERÁ PARA SEMPRE.

Hebreus 13:8.


Este versículo nos fala da imutabilidade de Crisjto (Salmo 102:27; Hebreus 1:12),pois Ele é Eterno (Miquéias 5:2; Joao 8:58).

Para entendermos o porque o escritor de Hebreus fala isso, vamos ver o serso 7 "Lembrai-vos dos vossos guias, os quais pregaram a Palavra de Deus; e considerando atentamente o fim da sua vida, imitai a fé que tiveram".

A direção aqui para lembrar e ver o exemplo dos guias, como um modelo e incentivo afim de considerar o fim da vida daquele que lê. Esses guias assim como Paulo admoesta aos irmãos a serem seus imitadores (I Co. 4:16; 11:1) ainda em outro lugar ele diz para ser imitadores de Deus e de Cristo (Efésios 5:1; I Tessalonissenses 1:6). Pois nosso fé e o nosso viver devem estar fixado em Jesus (Hebreus 12:2) e não em homens, ainda que nos ajudem a sermos verdadeiros discípulos de Cristo. A Fé em Cristo é que nos leva a uma experiência com Deus, conforme Hebreus 10:19-25. O que nos mantém firmes com Deus é a nossa experiência com Cristo e com Deus Pai. Essa experiência é que nos fortalece e nos consola.

Vamos olhar para I Samuel 17:24-37, 49-51 - Nesta passagem vemos Davi observando a atitude de Golias e conta somente com a experiência adquirida nos campos quando cuidava do rebanho de seu pai. O testemunho de que venceria Golias estava alicerçado nas experiências de ter matado um leão e um urso.Ora se quando apascentava o rebanho de ovelhas de seu pai que era uma coisa material e Deus o fortaleceu e ele venceu os animais, quanto mais Deus o capacitaria a derrotar Golias que estava agredindo não ao exército de Israel mais a Deus. A experiência forjada no escondido, nos campos, onde ninguém estava olhando,admirando e muito menos elogiando, fizeram Davi ser fortalecido em Fé. É no oculto dos olhos de expectadores que nossa Fé é fortalecida e onde nós crescemos espiritualmente.

Um outro exemplo está em Juizes 6:11-24 - Aqui temos Gideâo escondido trabalhando, fora das vistas do midianitas e é aqui que tem uma experiência com Deus e a partir desta experiência, Gideão é também fortalecido em Fé e ousadia e por fim derrota os midianitas.

Davi, Gideâo foram homens que fizeram proezas, coisas impossíveis humanamente, porque tinham uma experiência com o Senhor. Esta experiência é que faz a diferença entre vida e morte. Quando vivemos da experiência dos outros somos facilmente abalados, mas quando temos a nossa experiência nada nos abala. A experiência de outros nos ajudam, nos edificam no sentido de nos animar e manter-nos caminhando, mas perseverar diante das lutas e provações somente a minha experiência faz isso.

Como reforço a isso, quero terminar com o texto de Mateus 7>24-27 - Aqui o que edifica sobre a rocha é aquele que tem uma experiência com o Senhor e aquele que edifica sobre a areia é o que vive pela experiência de outro. Já sabemos o fim de cada um.

Qual fim queremos ser participantes?


ESCOLHEI HOJE O QUE QUEREIS.

12 de mai de 2009

UMA VIDA POR UMA VIDA


"Ó, as mãos estendidas sobre o madeiro,

Perfuradas por insensível crueldade!

Por que, abençoado Cristo, tinha de ser assim?

Uma voz muito amável disse a mim:

'Querido filho, esta Minhas mãos foram machucadas

Para que a tua no ministéiro fosse usada

Em serviço de amor como a Minha;

Minhas Mãos foram dadas para comprar as tuas'


Ó, os pés de Cristo, tão rasgados e dilacerados!

Como poderia tal sofrimento ser suportado?

Na vida, muitas vezes gastos e cansado,

Na morte, devem eles ser dados para escárnio?

'Em missões de misericórdia os teus podem ir,

Uma gratuita e alegre ajuda mostrar;

Foi por ti', disse o Salvador;

'Meus pés por ti tão lamentavelmente sagranram'.


Ó, a cabeça de Cristo, com a coroa feita de espinhos!

Em aflição e agonia se inclinou;

Por que Tua reputação celesital

Muda para terreno escárnio e reprovação?

'Meu filho, sob este espinhos comprei

Teu intelecto e todos os teus pensamentos;

A coroa de glória foi deixada para ti,

Para que tu pudesses dar tua mente a Mim'.


Ó, o coração de Cristo! Ó, o lado feido!

Ó, Homem de Dores, crucificado!

Que, em tal agonia, sem pecado, morreu,

Fizestes Tu algo mais para mim?

'Ah, meu filho, meu coração foi fendido

Para que tu pudesses viver em amor no céu;

Para que todo o teu coração e a tua vida pudessem ser

Rendido algegremente a Mim.'"


Retirado do Livro Vida em um Planomais Alto de Ruth Paxson - vol. III

8 de abr de 2009

AMNÉSIA ESPIRITUAL


Amós 3:1-3 – Ó israelitas ouvi esta palavra que o Senhor fala contra vós, contra toda a família que tirei da terra do Egito: De todas as famílias da terra, escolhi somente a vós, portanto, eu vos punirei por todas as vossas maldades. Por acaso andarão duas pessoas juntas, se não estiverem de acordo?

Esta expressão nos faz lembrar que não devemos somente ouvir, já que nesta expressão esse ouvir está intimamente ligado ao obedecer, porque ninguém dá uma direção para não ser obedecido. Esta mensagem está sendo transmitida a toda a família da terra, tanto a Israel como a Judá. Deus está lembrando o chamado divino como povo de Deus, um chamado que tendiam a desprezar e a esquecer.
Qual o tipo de chamado?
1º era um chamado pela graça, pois o Senhor os escolheu – Det. 7.6-8; Êxodo 19.1-5.
Esse principio da eleição pela graça também se aplica a Igreja – Jô 15.16, Paulo lembra aos Corintios – I Co. 1.26,29. Deus nos escolhe em Cristo antes da fundação do mundo (Ef 1.4) e o fez somente por sua mais pura graça.
2º era um chamado efetivo, pois o Senhor havia demonstrado seu grande poder ao livrar Israel da escravidão do Egito. O sangue do cordeiro pascal protegeu os hebreus da morte e foram conduzidos pelo mar vermelho a fim de se separarem para sempre do Egito.
Fomos salvos pelo precioso sangue de Cristo – I Pe 1.18,19; 2.24 e separados do mundo por sua poderosa ressurreição – Ef. 1.19-23.
3º um chamado exclusivo – de todas as famílias da terra vos escolhi. Escolher que também pode ser traduzido por conhecer indica um relacionamento íntimo, como aquele de marido e mulher.
4º um chamado que incluía responsabilidade de amar a Deus e lhe obedecer. Como povo escolhido, devemos viver de modo digno da nossa vocação – Ef. 4.1.

Quando Deus lhes chama para ouvir começa a relembrá-los de que eles eram, pois neste momento o povo estava com uma amnésia, e por causa disso estavam vivendo em desobediência e o castigo estava por vir.

O que é Amnésia?

O que é?
Amnésia é a perda de memória, parcial ou completa.
É, geralmente, temporária e pode ser devida a:
Sintomas de diversas doenças neurodegenerativas (aquelas em que o sistema nervoso se deteriora progressiva e irreversivelmente),
Resultado de danos a partes do cérebro vitais para o armazenamento da memória.
Existem causas orgânicas e psicológicas para a amnésia.
Algumas causas orgânicas incluem:
Infecções que atingem o tecido cerebral, como encefalites por herpes simples
Traumas físicos, tais como ferimentos ou pancadas na cabeça.
Derrame cerebral, insuficiência vascular.
Alcoolismo e drogadição.

A amnésia espiritual é causada da mesma forma. Muitas enfermidades tinham atingido Israel e Judá tais como: formalismo religioso, corrupção espiritual (5.12,21), desconsideração pelas pessoas (2.6) deteriorização da moralidade e da justiça social (2.7,8).

A amnésia espiritual é aquela que nos faz esquecer quem somos, é o motivo que nos faz estar num lugar onde não podemos nos identificar a nós mesmo. Perdemos nossa identidade de filhos de Deus. Nabucodonossor certa vez se exaltou e Deus permitiu uma amnésia em sua vida. Ele esqueceu-se que era Rei, que era um ser humano e pensou ser um animal, por causa deste pensamento ele agia como animal. Quando esquecemos quem somos em Deus, agimos como o mundo. Isto mostra que temos amnésia espiritual, deixamos de agir como cristãos, agimos como o mundo. Recebemos o coração do mundo, e isto causa amnésia.
Quando nosso Senhor veio ao mundo e antes de começar seu ministério Ele teve que se identificar com o ser humano – Mat. 3.13-15; Fil. 2.5-11.
Assim deve me identificar com Cristo – eu estava com Ele no calvário. Eu morri com Ele no calvário, a Obra do calvário me justificou – Rom. 3.24; II Co. 5.17; Gal. 3.26,27; Ef. 1.3; 2.6,10,13.
Ainda Ele disse que as obras que Ele fez nós faríamos ainda maiores – Jo 14.12.
Você está se identificando com esta palavra, ou você tem alguma amnésia espiritual. Quando esquecemos de nos identificar com a Palavra de Deus – isto é amnésia espiritual. A amnésia espiritual nos impede de nos identificar com as Escrituras. Este é um problema hoje, estamos enredados com tantas coisas (Heb. 12.1) que pode criar um choque que nos impede de saber o que é certo e o que é errado. Não conseguimos nos lembrar do Senhor. Não conseguimos nos lembrar da Palavra. Não lembramos de promessa alguma.
Não conseguimos nos identificar com a Palavra. Por quê? Quando a Palavra é manifestada não cremos nessa Palavra. Não sabemos a quem pertencemos. Esta amnésia espiritual cria um hibridismos em nós. O que é uma coisa hibrida. Uma coisa hibrida é que contém mistura que viola as leis naturais. Exemplo: a mula. A mãe é uma égua e o pai um jumento, e a mula não sabe a quem pertence. A mula não pode reproduzir-se novamente. Como discípulos do Senhor se estamos com amnésia espiritual estamos hibridados, ou seja, não conseguimos reproduzir.

Pertencer a Igreja não significa nada para Deus. Precisamos ser filhos e filhas de Deus. Temos que ser nascidos de Deus.
É de vital importância estar identificado com tudo o que a Bíblia declara. Se eu não tenho sido atingido com a amnésia espiritual deste mundo pós-moderno, eu sou, serei e poderei me identificar com a Palavra.

Um irmão conta uma pequena história de um soldado francês.

Havia um grupo de soldados do exército que tiveram esta amnésia causada
pelo choque da batalha. O exército francês tinha um programa. O Programa chamava pessoas que não tinham notícias de seus, virem e ver se elas poderiam
identifica-los. Não havia esperança para eles, quem sabe alguns foram
identificados. Os que não foram identificados seriam colocados num sanatório,
onde eles teriam que ficar pelo resto de suas vidas.
Esses soldados foram levados de trem e, subindo ao lado da colina,
pararam numa estação, para permitir aos soldados saírem e esticarem suas pernas. E os guardas subiram a colina para vigiá-los, com amnésia, eles tinham que observá-los.
Então eles observaram um jovem. Ele saiu e começou a olhar
o redor daquele tanque de água, olhou ao redor de toda a colina. Ele esfregou sua face,
e estudou e olhou novamente; ele viu aquele tanque de água. Ele olhou ao redor da
estação e começou a caminhar. Ao invés do guarda pará-lo, ele o seguiu. Ele subiu até a colina, desceu por uma estradinha, virou à direita, subiu em outra pequena colina e
chegou a uma pequena cabana feita de toras. Ele olhou. Saindo pela varanda, um velho
homem com uma bengala em sua mão, veio e colocou seus braços ao seu redor e disse: Meu filho, eu sabia que você voltaria. Eles me disseram que você estava morto, mas eu sabia que você voltaria. E o rapaz voltou a si. Sua amnésia o havia deixado. E ele pode identificar quem ele era. Ele sabia que aquele era seu pai.
Quando nos encontramos com Deus esse encontro sara qualquer enfermidade. Encontre-se hoje com teu Pai.

PARCEIROS

Www.Goocrente.Com - Acesse o Maior Pesquisador Cristão da Atualidade! Milhares de Sites Evangélicos, Estudos Bíblicos, Variedades, Cifras, Pastores, Igrejas, Eventos, Portais, Revistas, Rádios e muito mais.


Busca na web
Aonde.com - outros serviços: Download, Jogos e BuscaUrl
Cadecristo.com.br - Portal GOSPEL do Brasil - Pesquisa e busca 
evangélica - Jesus Cristo através da Internet

REDE SOCIAIS

União de Blogueiros Evangélicos
Uêba - Os Melhores Links

ARTIGOS E TEXTOS

O ARTIGO - Publique seus artigos de graça para milhares de leitores!

PROPAGANDA

 Carteiro Xpress
 Envie e-mails com
 facilidade e segurança.

  © Blogger templates Inspiration by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP